‘Na China, a lei não existe’, diz Ai Weiwei

Weiwei mostra camiseta que comemora sua libertação, em Pequim Foto: AP

Por Jose Reinoso, Do El País – NO GLOBO

Perseguido e acusado de evasão fiscal, artista diz que sua classe está corrompida

PEQUIM – Aos 54 anos, Ai Weiwei é um dos artistas mais renomados da China, pelo desenho do estádio olímpico de Pequim — o Ninho do Pássaro. Mas ele virou uma pedra no sapato do governo devido às fortes críticas ao regime. Em abril, foi detido pela polícia e ficou desaparecido por 81 dias. Ao soltá-lo, autoridades o acusaram de evasão fiscal de US$ 2,4 milhões. Proibido de deixar a China, pagou uma garantia de US$ 1,3 milhão, mas afirma ser vítima do governo.

Por que o senhor foi acusado de evasão fiscal?

AI WEIWEI: Quando me prenderam em abril, vendaram meus olhos e me levaram para um lugar secreto. Era um bunker. Fui algemado e começaram os interrogatórios. Disseram que queriam dar uma má imagem minha ao público. Fui acusado de colocar pornografia na internet, de bigamia, de copiar o trabalho de outros artistas. Fiquei furioso. Era um jogo infantil, mas era coisa séria, um sequestro. Perguntei se podia chamar um advogado. Disseram que não, e que não poderia contactar minha família durante seis meses.

Durante esses quase dois meses, o senhor recebeu uma ordem formal de prisão?

WEIWEI: Não. Anunciaram ao mundo que eu tinha cometido evasão fiscal. Depois disseram que não fui eu, mas a empresa para a qual trabalho como desenhista (Fake Design, de propriedade de sua mulher). Mas, obviamente, isso se volta contra mim. Também prenderam o contador e o administrador da empresa. Os dois me asseguraram claramente que não havia violação alguma. Segundo a lei do país, se alguém não paga imposto, é uma agência fiscal que investiga, e não a polícia. Mas, na China, a lei não existe. É preciso pagar a garantia e começar o processo legal. Mas nunca poderei ganhar esse caso nos tribunais.

Por que pagou a garantia?

WEIWEI: Para poder apelar. Se você não paga, o caso é transferido para a polícia, e podem acusá-lo de outro crime. Foram 81 dias de sequestro, e a garantia era o resgate.

Sua mulher foi interrogada e a empresa de seu advogado, investigada. As autoridades estão pressionando as pessoas à sua volta?

WEIWEI: Sim, estão tentando tudo. Já fui submetido a cerca de 50 interrogatórios, e as pessoas próximas a mim já enfrentaram uns 20 interrogatórios.

Acredita que o governo esteja preocupado com um possível contágio das revoluções no mundo árabe?

WEIWEI: Sim, estão muito nervosos, mas não têm motivos para isso com uma economia tão próspera. Acham que a situação está melhor do que nunca. Por que eles se preocupam tanto?

Após sua detenção, nenhum artista famoso levantou a voz a seu favor. Como se sente em relação a isso?

WEIWEI: Normal. Depois de 60 anos de supressão de todo tipo de voz, intelectual ou não, com pessoas esmagadas, presas, mortas ou temendo pela vida de suas famílias, não há chance de que as pessoas sejam honestas e ajudem os outros. Posso aceitar facilmente esse tipo de condição na China, mas não deixa de ser algo anormal. Eu disse às pessoas: “Olhem esses artistas famosos, ganham fortunas, têm tanto glamour, mas quando um colega é tratado dessa maneira, nem sequer fazem uma pergunta para saber onde ele está.” Não precisam dizer se eu estou certo ou errado, apenas uma pergunta: “Onde ele está?” Não houve essa voz.

Sente-se decepcionado?

WEIWEI: Não muito. Se tivessem alguma consciência, teriam falado há muito tempo. Mas ficam em silêncio. Nunca os respeitei. Acho que a maioria da comunidade artística chinesa está muito podre, muito corrompida.

Após a acusação de evasão fiscal, o senhor recebeu o apoio de milhares de pessoas, que lhe enviaram dinheiro…

WEIWEI: Sim, gente comum, estudantes. É bonito, porque acho que as mudanças virão do coração dos jovens.

Considera que reverteu a situação e transformou o caso em onda de apoio à sua figura?

WEIWEI: Não creio. Mas acho que as autoridades começaram a se dar conta de que essa tática não funciona.

Agora o senhor é mais crítico com o que ocorre na China do que há alguns anos. Por quê?

WEIWEI: Porque antes não estava tão envolvido com a internet. Não sabia como me comunicar. Agora, com a internet, posso exprimir as minhas ideias de forma mais eficaz.

Seus críticos o tacham de egoísta, de querer chamar a atenção só para ser famoso.

WEIWEI: Caminhar sozinho, meter-se em problemas, que tipo de fama é essa? Não sou tão idiota a ponto de arriscar minha vida só para ser famoso.

A polícia o acusou de pornografia por algumas de suas fotos de pessoas nuas.

WEIWEI: Esta é uma nação repleta de pornografia, abusos de menores, venda de crianças, venda de órgãos, e só porque você coloca suas fotos de pessoas nuas na internet falam em pornografia. É ridículo.

Muita gente na China está satisfeita com o progresso do país e da economia, e diz que vive melhor do que há 10 anos. Esse não é um argumento de peso a favor do governo?

WEIWEI: Não digo que tudo o que o governo faz está errado. Também acho que houve grande quantidade de melhorias em muitos casos. Mas por que não dar espaço a outras vozes, diferentes da voz oficial?

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo