“Sente-se”

cadeiras

Saí do espetáculo de dança-teatro “Sente-se”, na Casa da Ribeira, livre adaptação do texto “As Cadeiras” de Eugène Ionesco com a sensação de que faltou alguma coisa. Talvez tenha a ver com o texto. Porque gostei muito de todo o resto (luz, coreografia, música, interpretações etc).

Chico Guedes depois me informou que não foi encenado o texto integral, mas fragmentos. Será que estaria aí a minha dificuldade? Não foi, porém, a primeira vez que somente “compreendi” totalmente o que estava fruindo depois que li a sinopse. Isso já ocorreu com filmes, livros, peças, entre outras artes.

Por exemplo, não me toquei de que o casal tinha organizado “uma conferência para apresentar o resultado de suas reflexões, construídas ao longo de toda uma vida e que, segundo ele, mudará o mundo” (como diz no release). Aí fiquei em dúvida, pensando que talvez tenha sido desatenção minha ou, no limite, dificuldade cognitiva mesmo.

Como não conheço o texto integral não posso fazer uma comparação com o que foi levado ao palco. Fiquei curioso em conhecer esse texto e vou atrás dele.

A criação e direção do trabalho são do coreógrafo e pesquisador em dança-teatro Mauricio Motta, que também interpreta um dos personagens junto a Anízia Marques.

ao topo