“Viagem”, de Eric Thibault

As várias etnias indígenas brasileiras ganharam formas e cores nas telas do artista plástico franco-suiço, Eric Thibault, mais conhecido como Tibau. Todo esse esplendor estético-etnográfico pode ser conferido a partir do dia 4 de novembro, na exposição “Viagem”, na galeria de arte do Bardallo’s. O vernissage começa às 19 horas. As telas ficarão expostas até o dia 15 de novembro.

São 25 trabalhos em acrílica sobre tela, sendo 17 dedicados à expressividade do índio brasileiro. Outros cinco comprometem o olhar de Thibault para o Nordeste do Brasil. Ainda há um tríptico de três metros retratando um tigre (perigo), Lampião e Maria Bonita e duas gaivotas (paz). Thibault informa que todos os trabalhos foram produzidos em um período de três anos. O preço dos quadros varia entre R$ 200,00 e R$ 500,00.

Para retratar os habitantes genuinamente brasileiros, Thibault confessa que não foi a campo, embora tenha morado em Belém do Pará com sua primeira esposa. Ao contrário dos artistas batavos Albert Eckhout e Frans Post, trazidos pelo príncipe Maurício de Nassau para registrar os indígenas do Nordeste brasileiro em suas terras, Thibault valeu-se de livros e da internet para eternizar os silvícolas em quadros.

O diferencial de Thibault é a inserção de elementos, como plumas e a flor da papoula, no corpo dos índios, mas sem descaracterizá-los. Caiapó, carajá, ianomâmi, krahô, kuikuro, pataxó, tucano, tupinambá e xavante são algumas das etnias retratadas nas telas de Thibault, além de vaqueiros tipicamente nordestinos.

Para o também artista plástico, Franklin Serrão, Thibault é um militante da arte figurativa. Suas cores harmônicas e quentes são um elogio aos trópicos, ao Brasil e à sua alegria. Prossegue Serrão: “A linguagem de Tibau é original e autêntica. Eric é um grande artista cosmopolita. Sorte do Rio Grande do Norte por tê-lo em nossos quadros”. Conforme o administrador do Forte dos Reis Magos, Pedro Abech, “a sensibilidade da ingenuidade mostra a nobreza da obra viva que resplandece em forma de cores límpidas na obra de Eric Tibau”.

Histórico

De pai suíço e mãe francesa, Eric Thibault nasceu em Paris em 20 de dezembro de 1960. Cresceu entre a França e a Suiça, até optar pelo país de Guilherme Tell para viver. Thibault conheceu o Brasil em 1986 e Natal em 1989. Conseguiu a permanência definitiva no país em 1991. Para Natal, mudou-se definitivamente em 2004, residindo atualmente em Tabatinga.

Entre 1975 e 1978, Thibault estudou na Escola Cantonal de Belas Artes e Artes Aplicadas, em Lausanne, Suiça, além de ter realizado cursos de computação gráfica com especialização em Adobe Illustrator, Photoshop e Macintosh, nas cidades de Sion e Lausanne. Thibault trabalhou também em dez edições do Festival de Jazz de Montreaux, exercendo diversas funções.

Ainda na Suiça, o artista conquistou o quarto lugar no Concurso de Outdoor do Festival Open-Air (Pàleo Festival Nyon), em 1991, e a segunda colocação no mesmo festival em 1997. No Rio Grande do Norte, Thibault participou da Exposição dos Excluídos, na Pinacoteca do Estado, em 2006, e expôs no Espaço Cultural Calígula, na praia da Pipa, em 2007. “…Mensagem” ganhou as paredes da Pinacoteca do Estado também em 2007. Neste mesmo ano, seus quadros foram expostos na galeria de arte do Teatro de Cultura Popular Chico Daniel. O artista participou ainda do Salão Abraham Palatnik (2007/2008) e do III Salão da Marinha em 2010. Desde 2007, Thibault integra a Associação dos Artistas Plásticos Potiguares (AAPP).

SERVIÇO:
Abertura da exposição “Viagem”, de Eric Thibault.
Local: Bardallo’s Comida & Arte. Rua Gonçalves Lêdo, 678. Cidade Alta.
Data: 4 de novembro de 2010.
Hora: 19h.
Período de visitação: 5 a 15 de novembro de 2010.

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP