10 filmes independentes que você precisa assistir

Existe muito debate sobre o que caracteriza um filme independente, mas, no geral, trata-se da obra sem interferência de grandes estúdios da pré-produção à produção em si. Nesse sentido, um filme independente não é aquele feito sem dinheiro – esta é uma característica, em síntese, do cinema de guerrilha –, mas é aquele no qual a equipe corre atrás do financiamento e não existe uma indústria investindo em sua feitura.

Os filmes independentes, além disso, podem possuir uma visão artística mais pessoal – algo que parte da direção – e podem apresentar o que há de mais verdadeiro no estilo dos seus responsáveis. No final das contas, as grandes empresas podem se envolver, sim, em algum momento, especialmente na distribuição (geralmente por meio de subsidiárias), porque o que caracteriza um filme independente é, como dito, o momento que vai da pré-produção à produção em si.

Entre tantos possíveis, o Canaltech escolheu 10 para nossa lista de 10 filmes independentes que você precisa assistir (em ordem alfabética e desconsiderando os artigos):

10. Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças

Um dos filmes independentes mais queridos de todos os tempos, acompanha Joel (Jim Carrey), um sujeito que é surpreendido ao saber que seu amor verdadeiro (Clementine – interpretada por Kate Winslet) o apagou da memória. Contar mais do que isso pode ser um spoiler grande para quem não assistiu. Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças mistura romance, comédia, drama e ficção científica e o resultado, dirigido por Michael Gondry, é um trabalho já eternizado.

9. A Bruxa de Blair

Um clássico do terror recente (mas não tanto), A Bruxa de Blair teve um orçamento estimado em 60 mil dólares e, só no final de semana de estreia nos EUA, faturou um milhão e meio. A história acompanha uma gravação deixada por três estudantes de cinema que desaparecem depois de viajarem para uma floresta para filmar um documentário sobre uma lenda local.

8. Corra, Lola, Corra

Um filme que “se limita” a correr contra o tempo é sempre perigoso, mas Corra, Lola, Corra é tão eficiente nesse sentido que tudo só intensifica o suspense da história da personagem título (interpretada por Franka Potente). Ela (Lola), depois de uma entrega de dinheiro malfeita, tem 20 minutos para cumprir uma meta.

7. Eraserhead

Para quem prefere entender rapidamente os filmes, Eraserhead pode ser a pior experiência da lista. O filme de David Lynch é exatamente isso: uma experiência. Na história, Henry Spencer (Jack Nance) tenta sobreviver em um ambiente industrial um tanto quanto inóspito, tendo, ao seu lado, uma namorada furiosa e os gritos insuportáveis de uma espécie de mutante recém-nascido.

6. Frances Ha

Um dos filmes mais aclamados de Noah Baumbach (diretor de História de um Casamento), traz Greta Gerwig (diretora de Adoráveis Mulheres) como uma nova-iorquina que se torna aprendiz de uma companhia de dança mesmo não sendo dançarina. Ela se joga de cabeça em seus sonhos, mesmo quando a possibilidade de realizá-los diminui. Um filme lindo de um dos diretores mais sensíveis da atualidade.

5. A Garota Ideal

Um jovem, interpretado por Ryan Gosling (de O Primeiro Homem), inicia um relacionamento nada convencional com uma boneca que ele encontra na Internet. A partir disso, a história escrita por Nancy Oliver (de séries como A Sete Palmos e True Blood) vai fundo no tanto que o meio pode influenciar e ser prejudicial quando é construído a partir de mentiras e de aparências.

4. Ginger & Rosa

Ginger & Rosa é um olhar sobre a vida de duas adolescentes (interpretadas por Elle Fanning e Alice Englert) que cresceram em Londres nos anos 1960. Mas o relacionamento entre elas está prestes a ser redefinido quando a crise dos mísseis cubanos se instala. A diretora Sally Potter conduz o drama da maneira mais humana possível, deixando transparecer cada detalhe das personagens de Fanning e Englert.

3. Mad Max

O clássico de George Miller, que rendeu duas continuações em sua época e, recentemente, retornou com um filme que é considerado por muitos como um dos melhores filmes de ação do século (Mad Max: Estrada da Fúria), traz a história de um vingativo policial australiano (interpretado por Mel Gibson) que sai para deter uma violenta gangue de motociclistas em um mundo pós-apocalíptico e autodestrutivo.

2. Quero Ser John Malkovich

Louco, dramático e divertido, o filme comandado por Spike Jonze (de Ela) e escrito por Charlie Kaufman (de Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças) embarca na mente de John Malkovich (ele próprio) quando um titereiro descobre um portal que leva literalmente à cabeça do astro do cinema. Quero Ser John Malkovich é um filme, no mínimo, curioso demais para deixar pra lá.

1. Réquiem para um Sonho

Praticamente todos os filmes de Darren Aronofsky são independentes. Cisne Negro, por exemplo, foi o vencedor do Independent Spirit Awards de 2011 (filme, diretor, fotografia e atriz). Mas Réquiem para um Sonho, pelo menos em uma primeira vista, parece ser aquele em que o diretor pôde trazer mais de suas verdades artísticas. Na história, que conta com uma das cenas mais assustadoras do cinema, as utopias induzidas por drogas de quatro pessoas são destruídas quando o vício acaba se tornando mais profundo.

Agora ficam os comentários para todos os acréscimos que vocês acharem necessários. Serão dicas a serem registradas.


Texto originalmente publicado no Canaltech

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 6 =

ao topo