2º EELP confirmado em Natal

Por Sérgio Vilar
NO DIÁRIO DO TEMPO

Tive acesso agora há pouco a uma correspondência enviada pelo secretário geral da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), responsável pela parceria com a prefeitura de Natal na promoção do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa (EELP).

A carta confirma a “decisão” de organizar o 2º EELP, no período de 23 a 25 de novembro. Mais uma vez voltado ao público universitário. Os temas três temas também foram definidos: Literatura de Viagens; O Estado e a Evolução da Língua Portuguesa; e Poesia Escrita Para a Música. Os escritores convidados receberão R$ 500, claro, com despesas de hospedagem com alimentação e translado pagos pela prefeitura. A secretária Rosy de Sousa foi nomeada a coordenadora do evento. E de cá reforço o que já disse: as discussões travadas no primeiro Encontro foram de altíssimo nível. O evento foi organizado, salvo o trâmite de inscrição. E o setor de literatura carece de qualquer atenção há anos. Embora um “evento” sazonal, acredito no proveito de iniciativas como essas.

Comments

There are 11 comments for this article
  1. Jota Mombaça 7 de Setembro de 2011 21:05

    Discussões de altíssimo nível?

  2. Alex de Souza 8 de Setembro de 2011 11:13

    farei de tudo para não ir.

  3. João da Mata
    João da Mata 8 de Setembro de 2011 11:35

    Lex, gostei de reve-lo, forte e com a cabeça tinindo .
    Produzindo teses e fazendo loas ao sebovermelho.
    Só voce teve o privilégio de conhecer e escrever sobre a biblioteca de Pium
    Ja que a biblioteca de Caicó é prerrogativa do Moa. Falar nisso, faz tempo que não o vejo no Zé!
    Voce sabe quem financiava o reporter ESSO ? ( rs rs )
    Rapaz, ao chegar no carango no sábado vi que não tinha mais condiçoes de continuar.
    Uma pergunta para o François, Carlão, Abimael e outros grandes bebedores de cerveja. A Cerveja carrega o potássio? Só isso?

  4. Eliane Dantas 8 de Setembro de 2011 12:28

    Quem é Rosy de Sousa para coordenar um encontro de escritores? E o ingênuo jornalista ainda diz que acredita “no proveito de iniciativas como essas”! É ingenuidade ou oportunismo?

  5. Aldo Lopes de Araújo 8 de Setembro de 2011 16:46

    É Rosy de Souza a coordenadora do Encontro? Putz, meu caro Alex, é demais. É demais. Imperdível. Bati o pé, esperneei e disse a mim diante do espelho: não vou, não vou. Mas ao saber que era Rosy quem estava a frente do negócio, decidi aceitar o convite e vou torcer, aplaudir Micarla em o seu discurso de abertura. É cultura d+ pro meu bi(saco).

  6. Carla Maria Seabra 8 de Setembro de 2011 17:01

    Rosy de Sousa é da família Sousa!

  7. Juliano Guimarães 8 de Setembro de 2011 18:01

    Quem foi que organizou – sem ISBN – os Anais do Primeiro Encontro de Escritores? Quem?

  8. Sergio Vilar 8 de Setembro de 2011 19:31

    Aos irônicos comentadores, adianto que, de antemão, rejeito qualquer convite para este EELP. Agora, eu assisti todos os dias do último evento. E repito: foram discussões de altíssimo nível. Altíssimo! E nem falo das palestras de Agualusa, João Ubaldo ou Ondjaki, todas excelentes. Mas a do professor Carlos Reis e tantas outras figuras menos pops, mas de conhecimentos relevantes. Tácito pode dar a opinião dele. Ou quem mais esteve presente. Não posso é criticar sem ter assistido, ou pior, antecipadamente, apenas em razão de uma administração desastrosa. E a Rosi de Sousa organizou, junto com a Funcarte, o último São João. Até onde sei, foi bem organizado. O atraso nos cachês foge a sua competência. Mas a quem prefere Arnaldo Antunes balançando a perninha no ENE, tudo bem. Passar bem pra vocês, hein.

  9. Daniel Menezes 9 de Setembro de 2011 2:02

    Os dois primeiros comentários já disseram tudo, rs.

  10. Tácito Costa
    Tácito Costa 9 de Setembro de 2011 11:08

    Sérgio, devido aos horários não participei do EELP como gostaria. Na mesa em que participei o debate foi muito rico. Lembro que, fora alguns reparos pontuais, o evento teve boa aceitação. A questão é que qualquer coisa que essa administração se proponha a fazer já nasce cercada de descrédito. Algo perfeitamente natural diante do desastre anunciado que tem sido a gestão borboletícia. Penso que seria até melhor a prefeita não fazer mais nada, porque tudo acaba em calote ou ações do Ministério Público.

  11. Sérgio Vilar 9 de Setembro de 2011 11:38

    Concordo – e penso ser indiscutível – com a gestão desastrada. Mas discordo da opinião de que a prefeitura deva parar tudo para evitar mais problema. Esse evento estabelece um intercâmbio interessante com a comunidade de língua portuguesa. Salvo engano é três vezes mais barato do que um ENE e tem o seu público univeristário (eu sempre prefiro encontros do tipo voltado às crianças e adolescentes – acho mais proveitoso). Agora, eu trocaria o evento pela volta dos prêmios literários, pela revista literária, pela publicação de livros, por políticas de incentivo à leitura nas escolas. Mas sabemos bem que nada disso será feito em troca. Se deixa de promover o EELP e não se faz mais nada. Então, que venha o evento, as discussões, os poetas e literatos. Se eles não vierem, virão os reis diante do trono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP