2 espetáculos de teatro (de Rua e no TAM) gratuitos esta semana em Natal

unnamed
Pela primeira vez em Natal, o grupo de teatro Cia Nu Escuro, de Goiás (GO), que este ano completa 18 anos de estrada, traz ao público potiguar dois de seus principais espetáculos, Gato Negro e Plural, que serão apresentados gratuitamente nos dias 18, 19 e 20 de setembro, na Praça Augusto Severo e no Teatro Alberto Maranhão, respectivamente.

Os espetáculos têm um misto de atuação, com música ao vivo, teatro de bonecos e fantoches, incrementados de danças populares e de salão, além de utilizarem traquitanas cenográficas que criam um universo particular com cenários, figurinos e maquiagens cheios de riquezas nos detalhes.

A programação é patrocinada pela Petrobras. A trupe já tem 14 espetáculos montados, foi fundada por alunos remanescentes da antiga Escola Técnica Federal de Goiás, em 1996, e é uma das principais representantes das artes cênicas produzidas na região Centro-Oeste do Brasil. Parte de suas obras são construídas sobre textos autorais, desenvolvendo uma linguagem própria ao longo dos anos.

Espetáculo GATO NEGRO
Data: 18 de setembro (quinta-feira)
Horário: 17h30
Local: Praça Augusto Severo
Ingressos: Espetáculo de rua – ENTRADA GRATUITA

Espetáculo PLURAL
Datas: 19 e 20 de setembro (sexta e sábado)
Horários: Sexta-feira – 15h e 20h
Sábado – 20h
Local: Teatro Alberto Maranhão
Ingressos: ENTRADA GRATUITA

Os espetáculos:

Gato Negro (2013), dirigido por Hélio Fróes, é o último trabalho estreado pela Cia Nu Escuro e a segunda peça da trilogia que começou com Plural, em 2012. Inspirado em mitos populares do imaginário latino-americano, conta a história de três mulheres que vivem, no início do século XX, em uma fazenda isolada do interior do país, e que esperam um cavalheiro que as despose. Durante a espera elas recebem a visita de uma estranha criatura, meio homem e meio gato, que altera a rotina de suas vidas. A encenação acontece em ambientes abertos e na rua, e mostra a versatilidade da linguagem teatral desenvolvida pelo grupo, que busca na música ao vivo e nos passos coreográficos a perfeita tradução de um mundo fantástico, povoado por mitos e monstros.

Plural, com direção de Izabela Nascente, teve sua estreia em 2012, e conta histórias de mulheres que tiveram seus cotidianos familiares alterados pela necessidade de migração da zona rural para a zona urbana. Uma migração que aconteceu também no íntimo de cada uma das personagens, que saem do aconchego do lar para a frieza do mundo além dos portões de casa. Nesta montagem os personagens são feitos de pano, tricô e crochê, e contracenam com os atores, em instantes que misturam cantigas populares e cirandas. O espetáculo parte das histórias contadas pelas mães de três dos integrantes do grupo, e as vozes das matriarcas também estão em cena. Uma trama sempre tensionada entre o drama e a poesia, o trágico e o humor.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo