2009 é a vez do audiovisual

Uma boa oportunidade para discutir a produção e o cenário atual do audiovisual potiguar será nesta quarta-feira durante o Fórum das Entidades Audiovisuais do Rio Grande do Norte. A idéia foi proposta de uma série de grupos reunidos no auditório do Sesc em dezembro, durante o Goiamum Audiovisual. Segundo as próprias idealizadoras do Fórum, apesar da intensificação da atividade cultural e, especificamente, do audiovisual no Estado e na capital, as iniciativas têm se encontrado isoladas. A falta de um diálogo mais consistente entre os diversos agentes culturais do Estado se reflete em uma série de problemas, sendo, talvez, o mais sintomático deles a falta de participação do público.

O Fórum pretende colocar em contato os agentes do audiovisual potiguar, criando um canal de comunicação permanente. As propostas são de fácil implementação e ótima eficácia., como reuniões presenciais mensais; lista de e-mails aberta a todos os interessados (pessoas físicas e jurídicas ligadas ao audiovisual potiguar); e criação de um site, com um mapeamento da atividade audiovisual no Estado e blog para publicação de notícias pertinentes (publicação de editais, programação cultural, etc.) e outros participantes possam sugerir. As entidades que integram este primeiro Fórum são: Cineclube Natal; Curtacom; Tropa Trupe; Bolero Filmes; Mudernage; e Cine Mambembe.

O secretário de Audiovisual do Ministério da Cultura, Sílvio Da-Rin esteve em Natal para o Goiamum e concedeu ótima entrevista à jornalista Adriana Amorim, publicada no Diário de Natal. Entre outras coisas, Da-Rin adiantou que uma das metas do Minc para este ano é instalar um Núcleo de Produção Digital no RN. Isso porque sentiu o incentivo continuado dado pelo poder público ao setor. Para o projeto ser concretizado, o secretário sugeriu cobrança intensiva de entidades aos governos. Entidades cujo entusiasmo surpreendeu o representante do Minc. E disso ninguém pode negar o trabalho desenvolvido pelas entidades envolvidas, como também o claro desinteresse do público pelas promoções e eventos promovidos por elas.

O Rio Grande do Norte tem mostrado boa produção de cinema sem qualidade. É a opinião de gente do meio. O fato evidencia a necessidade de caminhar além do entusiasmo. É preciso capacitação e incentivo. Isso fica claro na produção dos Docs ou nas produções voltadas ao programa Revelando Brasis. Logicamente temos boas obras, também, mas diferentemente da música e outras artes, o cinema potiguar ainda está aquém de capitais nordestinas. Esse Fórum será uma excelente oportunidade para qualificar o debate em torno da produção audiovisual potiguar e chamar a atenção da imprensa com mais eficácia. Da-Rin também comentou que se baseia em clippins publicados na imprensa para selecionar o destino dos recursos. Então, vamos unidos neste 2009, com câmera na mão, idéia na cabeça e organização.

Comments

Be the first to comment on this article
  1. Adriana Amorim 5 de Janeiro de 2009 23:20

    Adorei, Vilar! Vc capta muito bem as ‘coisas’, heim?! Valeu pela citação também…

    😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP