2011: Um brinde ao SP

Brinde ao SP

Calar, calei. Assim como tu, eu e tantos…
Não por covardia, mas porque sou devota da liberdade e da paz. Verdade é que tivemos momentos nebulosos. Confesso, estive em silêncio. Não negarei aqui, agora, que fiquei triste. Tive momentos de hesitação, divergimos. Felizmente isso nos faz diferentes.

Debates são importantes e sempre bem-vindos.

Divergência sim; guerra nunca, mesmo de palavras e ofensas. Ventos brandos agora parecem nos bater de leve, trazendo consigo uma bandeira de paz.

DO SP: singular momento em minha vida em que numa manhã de abril, exatamente no dia 21, vesti-me de coragem e enviei ao meu amigo Tácito um tímido texto que nem mesmo acreditei que seria postado e, eufórica como uma criança, constatei a aceitação.

Obrigada, Tácito. Você que me conhece, como já citou em algum momento neste SP, quando fez referência em algum comentário feito aqui, citando alguns amigos como sendo “de velhos carnavais” e me acolheu, dando-me a oportunidade de postar meus pequenos textos e meus infantis ensaios de poesia. Não tenho a pretensão de ficar famosa, mas não posso ser hipócrita: não havia antes ousado postar em nenhum blogue. Também quero ressaltar que não faço parte de nenhuma concorrência. Aqui no SP sinto-me em total liberdade, como se fora a minha sala, como já disse algumas vezes, repito: o SP é singular.

Querido Tácito, o meu abraço e todo o meu apreço. Amigo é coisa para se guardar, mesmo que o tempo e a distância digam não, não é verdade? Rs

Claro que não usarei de farisaísmo, pois percebo, observo alguns comportamentos que não citarei os nomes que acatam ou tolhem. Mas, a boa crítica é bem-vinda, sem ela não crescemos.

Por isso, agradeço aos que criticaram, aos que comentaram, aos que se mantiveram em silêncio e apenas leram-me.

Não somos donos do tempo, nem o tempo de nós. – É preciso ter tempo para buscar no tempo o bem do tempo. Tomara que o tempo nos dê tempo de comemorarmos por longos tempos a felicidade de aqui estarmos.

A todos que fazemos parte do SP, em especial um abraço para Tácito, Nicolau, Tânia Costa, Danclads Lins de Andrade, João da Mata, Jarbas Martins, Nina Rizzi, Marcos Silva, Marcos Cavalcanti, Romana Alves, Carmen Vasconcelos, Michelle Ferret, Carlos Souza, Gustavo de Castro, Oreny Júnior, Ramilla Souza, Fernando Monteiro, Cláudia Magalhães, Nelson Patriota, Denise Araújo, Alex de Souza, Lívio Oliveira, Edjane Linhares, enfim a todos que com tanta felicidade fazemos o SP (e se deixei de citar algum nome, desculpem-me, é que são tantos. E numa grande família, às vezes trocamos os nomes) e até mesmo àqueles que de forma anônima dão sua contribuição, acreditando que continuaremos neste abraço virtual que pretendo, tão logo, fazê-lo físico, pois como já disse tenho um projeto para reunir o pessoal do SP, pelo menos uma vez por mês. Se tudo der certo, teremos um espaço onde poderemos compartilhar de bons momentos entre risos e abraços e, segundo a escalação de Da Mata feita em um comentário anterior:

“A gente chama Claudia, Tania, Nina, Carmen, Ramilla, Romana, Denise, etc
Pera ái. Isso ja e sonhar demais!
Jarbas faz o pai Francisco.
alguem toca o violão
outro diz uma cantiga
e Tácito canta uma loa”.

Esta a escalação de Da Mata, mas podemos mudá-la, caso alguém sinta-se insatisfeito com a escalação.

A todos, o meu abraço, o meu sincero carinho. Estou aqui em Pirangi, atenta, sempre de olho nas novidades do SP, o meu confesso vício. Sem demagogia, digo que o Sol tem me roubado todo o tempo: é um sofrimento, muito mar, muito Sol, muito banho de lagoa…

Feliz 2011 para todos nós e um feliz verão para todos.

Camaradas, até já.

Comentários

Há 5 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 20 =

ao topo