5 anos do SP (Parece que foi ontem!)

Aniversário, 1915. Marc Chagall. Óleo sobre papelão. MOMA: Museu de Arte Moderna de Nova York

TC

Obrigado a todos e todas, especialmente a:

Nelson, Carmen, Carlão. Começaram junto comigo. São do tempo que o SP tinha cem acessos por dia (hoje, ultrapassam os 3 mil). Mais de um ano depois, tardiamente porque demorei a perceber que a abertura, interação, comunhão e democratização eram a essência dos blogs, vieram os demais;

José, Damata, Marcos, Gustavo, Michelle, Monteiro, Nina, Jarbas, Cláudia, Tânia, Alex, Ednar, Denise, Romana, Ramilla, Anne, Jota, Danclads, Jairo, François, Clauder, Paiva, David, Civone, Rolim, Uiara. Como os três dos primórdios, possuem também carteira assinada, podendo a qualquer momento entrar na justiça e requerer indenização por tempo de serviço – rs;

Lívio, Jóis, Edjane, Alice N, Thiago, Horácio, Charles, Demétrio, Aldo, Oreny, Vilar, Gurgel, Márcio, Chico Guedes, Ítalo… talvez tenha esquecido algum, mas a lista pode ser complementada a qualquer momento. Estes são pluralistas informais – poderiam muito bem ser formais – e tem direitos iguais aos demais citados nos dois primeiros parágrafos;

Tetê Bezerra. Essa ninguém sabe, ou quase ninguém, mas Tetê é um das pessoas que mais contribui com o SP. Praticamente todos os dias ela envia para o SP, por e-mail, textos que descobre pelo vasto mundo online;

Tem ainda o bloco dos que jamais apareceram por aqui, mas que deram e dão valiosas contribuições. Davi José (designer). Fez – em 2007 – o primeiro projeto gráfico do SP. Marcelo Mariz, sua agência de publicidade, a Mariz, patrocinou o segundo projeto gráfico, em 2009, que teve como designers Will Minetto e Gustavo Mociara;

Maria Cláudia (mãe de Nicolau). Foi a primeira pessoa – ou das primeiras – que soube da minha ideia de criar um blog. Deu força desde sempre. Amiga queridíssima. Tornou-se uma espécie de conselheira do SP (só precisamos controlar o gosto dela por cores fortes quando se discute mudanças visuais para o blog, é veementemente contrária às cores “sonsas” – rs);

Nicolau. Elaborou o atual projeto gráfico (fez adaptações no anterior etc), inclui novidades gráficas (a mais recente foi a mexida na AGENDA) e resolve as broncas técnicas que aparecem por aqui. Sem ele, é bem provável que eu já tivesse fechado o SP. Não é exagero, custa caro manter um suporte técnico, mesmo para um blog pequeno como o nosso. Prometi a ele que no dia em que o SP bombar, tipo virar um Facebook, valendo bilhões e com ações na Bolsa, eu acerto todo o atrasado com ele – rs;

Sei que é arriscado citar nomes e tenho certeza que esqueci alguns bem importantes. Mas não é por ingratidão ou qualquer outro sentimento menor. Fui escrevendo e lembrando, então é provável que tenha escapado algum. Mas uma das coisas boas do texto online é que ele fica sempre em aberto, cabendo tudo que a gente queira acrescentar depois. Se eu lembrar ou alguém me der um toque sobre quem também deveria constar aqui eu acrescento. Sem falar que qualquer um pode contar sua história com o SP, se incluindo nessa trajetória, não precisa da minha chancela pra isso.

PS

Por favor, não escrevam no espaço destinado aos comentários sobre os 5 anos do SP. Todos os textos que façam referência a isso entrarão como posts, no espaço principal do blog. Seria legal se cada um fizesse o seu próprio editorial sobre o SP. No decorrer deste mês postarei mais coisas referentes a esses cinco anos.

Comentários

Há 7 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo