5 perguntas para… Isaura Rosado!

Isaura Rosado é inquieta. Isso ninguém nega. Se há vaidades em ocupar o topo de uma secretaria, a da “titia” Isaura vai além. Mas é uma vaidade positiva, de quem gosta de ver resultados, de fazer acontecer. A professora atravessou as gestões de Wilma, Iberê e Rosalba. E pronto. Se alguém cogitava sua permanência na próxima administração, na cota devida a Betinho Rosado, a própria secretária nega nesta segunda entrevista da seção “5 perguntas para…”. Estipula ainda uma nota para sua gestão e sugere um nome para ocupar a pasta, fora de todos os nomes cogitados até o momento. Confiram!

– A senhora permanece ou deseja permanecer como secretária de cultura?
Nem permaneço nem desejo permanecer. Nem é justo. Agora é novo governo, com suas características. Faz parte do jogo democrático que outros prestem sua colaboração. Vou tirar férias sem planos para o depois. Mas dificilmente ficarei parada; não é de meu temperamento.

– Uma nota, de 0 a 10 para a sua gestão.
Sete passa por média, ne? Então baixe mais um pouquinho (risos). Mas com as condições que eu tive até fiz bastante coisa. Destacaria a política de editais: de apoio financeiro, de livros, de cordéis, de ocupação de espaço… Foi muito importante. Todas as concessões foram feitas de editais – uma forma democrática. Os recursos saíram do perímetro de Natal e Grande Natal, abrangendo mais da metade do Estado. Quando uma quadrilha junina de Alexandria seria beneficiada, por exemplo? Destacaria também as publicações, com 117 títulos, incluindo livros, cordéis e a revista Preá; publicamos desde os clássicos à gente nova. Tudo isso eu aponto como positivo.

– O maior feito e onde a secretaria pecou mais?
Olha, foi a valorização da cultura popular. Em todas as ações, editais, publicações, festas, celebrações, levamos na frente a cultura popular. Pecamos mais porque tivemos muito pouco dinheiro. A cultura é muito sofrida de recursos. Mesmo assim executamos R$ 5 milhões com recursos federais. A gestão anterior executou menos da metade disso.

– Faltou apoio do Governo do Estado?
Não faltou apoio. Faltou foi dinheiro do Governo. Faltou geral. Mas a Educação, por exemplo, tem 25% de investimento assegurado na Constituição. Como não temos nenhum percentual fixo ou recurso determinado, sofremos mais.

– O novo secretário será do PT? Qual nome a senhora indicaria?
Será? Acho que o PT terá tantas secretarias importantes, como a Educação, que eles poderiam colaborar mais. Mas esses nomes já falados pela imprensa são muito bons: Josenilton Tavares, Gilson Matias, Rodrigo Bico… Mas uma pessoa que sempre acho que pode dar uma colaboração importante é Vicente Serejo. Na imprensa, gosto muito de você, de Tácito (Costa), de Yuno (Silva). São pessoas com visão muito crítica e que poderiam inverter posições (risos). Mas olha, quem chegar vai herdar R$ 27 milhões assegurados à cultura. Tem 18 milhões do PAC das Cidades Históricas, 6 milhões no RN Sustentável, para instalação do Planetário, 2,2 milhões para conclusão do Teatro de Mossoró e uns quebrados para complementação da Biblioteca, afora mais 1 milhão da Petrobras que não desisti, para a Pinacoteca. E tem a Rampa, que somos intervenientes. É uma contribuição grande para o próximo governo. Se puder correr atrás desses recursos, não perde nada!

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Solteiro porque é o jeito. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Anchieta Rolim 15 de novembro de 2014 20:04

    Faltou dinheiro mesmo!? Em minha última exposição na Pinacoteca do Estado, a diretora Vandeci Holanda fez das tripas coração para montar a exposição ( agradeço a força dela ). Tinha uma parede da galeria que estava sem pintura, porque não tinha verba para comparar uma simples lata de tinta, a mesma foi adaptado com uma faixa preta de um tecido que eu comprei com meu próprio dinheiro. Essa adaptação, deixou um péssimo resultado na colocação dos trabalhos. Só não desmontei a exposição em respeito a Vandeci. Já o catálogo… Sem mais comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo