Lembrando o amigo Pedro Vicente

Por João da Mata

No dia 19 de outubro de 2015 o amigo e amante do livros Pedro Vicente completaria 70 anos se vivo fosse. Norte-rio-grandense de Macau, viveu no mundo. Morando muito tempo no Recife, também fincou raízes na Amazônia ( Acre) e União Soviética. Foi professor e editor da UFRN, quando aposentado faleceu no dia 05 de Setembro de 2013. Por onde passou deixou sua marca. Qual aquele que ao se despedir não nos faz morrer um pouquinho mais?

Mais que as palavras que dizem pouco nesse momento o sentimento do dever cumprido. Das amizades que não acabam. O exemplo. O mestre que deixou a sua marca em gestos, ações, livros e contradições.

E assim como barcos separam-se quando estavam ancorados no mesmo cais. ASSIM vamos encontrar o amigo Pedro Vicente muitas vezes nas falas dos amigos, nos gestos e saudades.

Podemos encontrar quem sabe num outro plano mais elevado e digno.

Pedro Vicente da Costa, PVC para umas línguas ferinas. Tinha muitas conexões e juntou muito rincões em sua profícua vida.

Ninguém sabia direito onde Pedro Vicente nasceu. Ele não costumava falar do seu estado Natal, ele que foi um cidadão do mundo. Talvez uma proteção sua quando precisou viver exilado.

Amigos de muitos livreiros e escritores. Organizou muitas feiras de livros. Trouxe muitos escritores a Natal. Por seu intermédio conheci Hildeberto Barbosa Filho, Alberto da Cunha Melo, Fernando Monteiro e outros. Ele juntou a todos nós e era referência nacional em se tratando de livros. Editou e organizou muitos.

Estava sempre recomeçando e organizando algo. Organizava uma Galeria de Artes no Acre um pouco ante de morrer precocemente. Montou várias bibliotecas e era um grande leitor e conhecedor de livros e autores.

Imortal da Academia de Letras Norte-Rio – Grandense e do Conselho Estadual de Cultura.

Montou um sebo de curta duração com os amigos Vicente Serejo e Homero Costa. Era sempre assim: começando algo para recomeçar depois. O livro sempre presente. Sem nunca esquecer o grande sedutor.

Um bom enólogo e gourmet. Apreciava um bom prato e tinha uma bela biblioteca específica.

A vida que passa como o movimento dos barcos, e dizer: valeu amigo Pedro Vicente da Costa Sobrinho.

Saudades

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 3 =

ao topo