Documentários potiguares serão exibidos este sábado na II Mostra Audiovisual em Mãe Luíza

Neste sábado acontece a estreia do documentário Som do Morro, nova produção do Coletivo Caboré Audiovisual em parceria com jovens do bairro. A exibição faz parte da II Mostra Audiovisual em Mãe Luiza.

Na programação, serão exibidos ainda o making of do documentário e três produções realizadas por moradores da comunidade, encerrando com uma roda de funk. O evento inicia às 19h na Praça Principal (Avenida João XXIII, vizinho à Igreja Católica de Mãe Luiza).

“Som do Morro” acompanha a preparação de um baile funk no bairro de Mãe Luiza e nos apresenta Kevinho e Gil Bala, dois amigos que tiveram suas vidas cruzadas ao compartilharem o sonho de serem MCs.

As gravações do documentário aconteceram entre junho e novembro de 2015, e contou com a participação dos alunos das Oficinas de Audiovisual em Mãe Luiza, projeto realizado pelo Coletivo em 2014. A proposta era dar continuidade à parceria e realizar um trabalho onde os jovens pudessem integrar a equipe de produção.

Programação

19h30 – Mostra Especial: Oficinas de Audiovisual em Mãe Luiza
Com exibição dos curtas-metragens realizados pelos alunos das oficinas realizadas pelo Coletivo Caboré Audiovisual, projeto beneficiado pelo Fundo de Incentivo a Cultura 2013

* “O meu Recomeço” (2014, Doc, 7min), de Alicia Soares
* “Isso é um assalto!” (2014, Fic, 5min), de Janyelson Firmino
* “Olhares de Mãe Luiza” (2014, Doc, 5min) de Flávio Silva, Michael Lima, Lucy Vasco, Wagner Henrique e Pyetra Alves

20h – Estreia do documentário e making of do “Som do Morro”

* “Som do Morro” (2015, Doc, 12 min), de Diana Coelho e Hélio Ronyvon

20h30 – Encerramento

* Roda de Funk com MCs de Mãe Luiza

O projeto “Som do Morro” foi beneficiado pelo edital de Economia Criativa 2015 do Sebrae/RN e pelo edital Curtas Universitários 2015, do Canal Futura.

FOTO: BABI BARACHO

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo