Pancadaria no lançamento de “Honoráveis Bandidos”

sarney

Terminou em tumulto e pancadaria o lançamento do livro “Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney”, na sede do Sindicato dos Bancários, em São Luís (MA), na noite de ontem (veja o vídeo aqui)

A noite de autógrafos de Dória foi marcada para ocorrer na sede do sindicato, porque as livrarias do Maranhão se recusaram a lançar a obra, como antecipou a Livraria da Folha, no mês passado.

Segundo o sindicato, estudantes ligados à família Sarney jogaram ovos e uma torta na direção de Dória, em protesto contra o livro. Houve também uma discussão entre os participantes do evento e os manifestantes.

Em nota, o Sindicato dos Bancários do Maranhão condenou a violência.

“Os atos de vandalismo provocado por 10 a 15 baderneiros, quando da ocasião de lançamento do livro ‘Honoráveis Bandidos’ do jornalista Palmério Dória, nessa quarta-feira(04/11) em nossa sede, relembra os tristes fatos históricos das décadas de 50 e 60 em nosso Estado, que acreditávamos sucumbidos. Naquela época, prevalecia no Maranhão a lei da força bruta, da intolerância, em que as diferenças eram resolvidas pela pancadaria”, citou a nota.

O sindicato informou que, durante a pancadaria, o patrimônio da entidade foi prejudicado:

“A categoria bancária se sente violentada por ter itens de seu patrimônio, conquistado com a contribuição sindical de anos e de gerações de trabalhadores, destruído, quebrado (porta principal, cadeiras, quadro). O valor financeiro de uma nova porta para a entrada da sede de nossa entidade não nos entristece mais do que ver a instituição Sindicato dos Bancários do Maranhão, espaço democrático de tantas categorias, desrespeitada de forma desmedida pelos baderneiros.”

Os diretores do sindicato disseram ainda esperar que a polícia apure e puna “exemplarmente os vândalos, que agem em interesse próprio ou de terceiros, de forma que não se sintam estimulados a usar a violência, fruto da intolerância e da antidemocracia”.

Intimidade sexual

Além de detalhar todos os escândalos envolvendo o clã do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o livro, que está entre os mais vendidos no país, dedica um capítulo (nº 8, “O lado feminino”) só para falar sobre as intimidades da família e de seu patriarca.

Na página 91, Dória escreve: “Sarney achou que seus sonhos poderiam concretizar-se em Nova York – o senador delirava só em pensar na realização de seu fetiche sexual: lambidas em seu hálux, ou, na linguagem popular, o dedão do pé. E rumou esperançoso para a capital do mundo ocidental, entre os convidados da Globo para a entrega de um daqueles prêmios internacionais, em tempos de boca-livre total.”

“Não vi, não li, não me interessa”, disse Sarney à Livraria da Folha sobre “Honoráveis Bandidos”.

Go to TOP