CÂMERA NA MALA: O paraíso tem nome: Galinhos

Abundava peixes galos pela península salgada e os aldeões tratavam a terra simplesmente de Galinhos. Segundo o historiador Luís da Câmara Cascudo, Galinhos tem esse nome contado pelos pescadores, que lutaram com os índios para a posse da ilha. Um município jovem com 54 anos de vida legislativa, desmembrou-se da praia de São Bento do Norte.

Viajando pela BR 406, Litoral Norte de Natal, Galinhos está a 175 km de distância. O lugar é uma ilha, numa península de mar tranquilo, acessada somente através de barcos. O trajeto até a ilha é pelo rio Aratuá, onde é possível observar toda a natureza viva dos manguezais com suas garças brancas, aninhando-se nos finais de tarde em busca do repouso.

Quando o barco atraca no Porto do Urubu, só é possível ver os chamados “Burros Táxi”, pois o vilarejo não possui nenhum carro de passeio por suas ruas – a exceção fica por conta de um único buggy da Polícia Militar, que patrulha a área garantindo a segurança dos veranistas e aldeões.

A praia abriga um povo simples, sendo na sua maioria, famílias de pescadores e pequenos comerciantes. As ruas são de areia praieira, pois só é calçada a rua principal, que dá acesso a entrada da cidade. As casas são ladeadas por coqueirais e cercadas de varinhas. “O lugar é residência de pescadores, em aldeias rudimentares, mas de gente laboriosa”, disse Câmara Cascudo referindo-se a Galinhos e seu povo.

A praia tem suas águas bravias ao longo da costa atlântica, por ser um braço de terra entrando no mar, com ondas intensas quebrando na beira da praia. Suas areias finas e alvas misturam-se ao banco de pedras que sustenta o Farol de Galinhos, instalado estrategicamente na curva da ilha – onde é possível avistá-lo imponente de qualquer lugar do vilarejo. É um fiel sentinela, avisando aos navios sobre essa pedaço de paraíso.

Ao entardecer, o pôr do sol, no estuário do rio Aratuá é um desses momentos mágico da vida. O sol teima em cair mansamente sobre as dunas móveis de areias finas, enquanto as testemunhas ocasionais apreciam o espetáculo no trapiche do porto, ou dentro dos barcos ancorados na beira do rio.

Praia de Galos: rusticidade e beleza entre o rio e o mar
Galos é um povoado essencialmente de pescadores, pertencente ao município de Galinhos. Galos é mais rústico do que Galinhos e não pode sair de lá sem experimentar a melhor tapioca de coco da região, com Dona Maria, uma velha nativa.

Saindo de barco de Galinhos em direção a Galos, pelo rio Aratuá, é possível observar as dunas móveis, conhecidas como “Dunas de Capim”, e as grandes falésias de areia vermelha que circundam a ilha. Garças voando entre os manguezais e as gaivotas fazendo barulho com seus gritos rasgados, enquanto seguem o barco, dão um tom lúdico à viagem até Galos.

Com suas águas marinhas ricas em cloro e sódio, a exploração de sal grosso pode ser vista ao longo da costa, onde várias salinas contribuem para a economia do lugar.

O casamento perfeito entre o rio e o mar, a boa pesca, a tranquilidade da vida mansa, qualquer coisa sempre será um bom motivo para visitar e curtir a praia de Galinhos, no litoral norte do Rio Grande do Norte.

O Farol de Galinhos é o maior cartão postal da península
O Farol de Galinhos é o maior cartão postal da península
Trapiche de chegada e partida de Galinhos
Trapiche de chegada e partida de Galinhos
Barco que leva os aventureiros através das gamboas de Galinhos
Barco que leva os aventureiros através das gamboas de Galinhos
Dunas de sal marinho ao longo do Rio Aratuá
Dunas de sal marinho ao longo do Rio Aratuá
Dunas do Capim, parque dunar conhecido também como "Lençoies Galinhenses"
Dunas do Capim, parque dunar conhecido também como “Lençoies Galinhenses”
Dunas móveis com o vento constante
Dunas móveis com o vento constante
Os Lençois Galinhenses proporcionam momentos de relaxamentonas prainhas de água morna
Os Lençois Galinhenses proporcionam momentos de relaxamentonas prainhas de água morna
Parque Eólico entre as duas de Galinhos
Parque Eólico entre as duas de Galinhos
Por do sol no Parque Eólico sobre as Dunas do Capim, em Galinhos
Por do sol no Parque Eólico sobre as Dunas do Capim, em Galinhos
Passeio de barco pelo Rio Aratuá para ver o manguezal e as garças brancas
Passeio de barco pelo Rio Aratuá para ver o manguezal e as garças brancas
Burro Taxi é a única maneira de se locomover rápido por Galinhos. Do vilarejo até o Farol são 3 km para ir...
Burro Taxi é a única maneira de se locomover rápido por Galinhos. Do vilarejo até o Farol são 3 km para ir…
Duna do André. Conta a lenda local que o pescador chamado André tinha uma casinha no pé da duna. De teimosos, ele não saiu e a duna segiu seu destino, cobrindo André e sua moradia. Em homenagem ao pescador, os aldeões batizaram a duna
Duna do André. Conta a lenda local que o pescador chamado André tinha uma casinha no pé da duna. De teimosos, ele não saiu e a duna segiu seu destino, cobrindo André e sua moradia. Em homenagem ao pescador, os aldeões batizaram a duna
Enseada de Galos, distrito de Galinhos
Enseada de Galos, distrito de Galinhos
A única maneira de chegar em Galos e  nas outras ilhas é de barco
A única maneira de chegar em Galos e nas outras ilhas é de barco
Galinhos é um desses paraísos esquecidos no Rio Grande do Norte que vale uma visita
Galinhos é um desses paraísos esquecidos no Rio Grande do Norte que vale uma visita

Fotógrafo e viajante [ Ver todos os artigos ]

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Evaldo 25 de Janeiro de 2017 19:15

    Tenho muita vontade de viver neste canto da Costa do RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP