A Aliança Francesa de Natal

Foto: Canindé Soares
Quando ingressei na Aliança Francesa ainda era um adolescente, mas a instituição já estava, havia alguns anos, amadurecida em solo potiguar. Essa distinta escola de línguas – talvez eu nem precise salientar – constitui-se, ainda hoje, após mais de cinquenta anos de existência, numa das mais importantes entidades de cunho educativo e cultural que existem no Rio Grande do Norte. São sabedores disso os que passaram por seus bancos e os que tiveram oportunidade de participar de algum de seus cursos, eventos intelectuais, culturais e artísticos, efemérides comemorativas, dentre outros acontecimentos impulsionadores da paixão pela língua francesa e pelas coisas da França.

A Aliança Francesa de Natal, no entanto, não se resume a transmitir o gosto pela realidade da França e sua compreensão como fatores culturais universais. Não. A Aliança Francesa faz com que reforcemos, a cada dia, o amor pelo Brasil, por nossa terra e nosso povo, por nossos interesses autênticos como potiguares e brasileiros, vez que nos mostra que o caminho do desenvolvimento se firma a partir do espírito elevado, aberto e arejado e de uma visão circular e abrangente do mundo.

E é esse sentimento de percepção altiva e de alteridade e auto-estima que termina sendo fixado pela compreensão de outras culturas em cotejo com a nossa. É a visão cosmopolita que transcende barreiras raciais, linguísticas, geográficas, permeando uma concepção democrática que se assume num intercâmbio permanente de ideias e de vivências no mundo, a partir da diversidade cultural que o alimenta.

A Aliança Francesa de Natal sabe fazer isso desde a sua fundação.

Inaugurada em 06 de abril de 1957, a partir do embrião que foi o Clube de Francês de Natal (este criado em 14 de julho de 1955), a Aliança Francesa de Natal preserva, ainda hoje, a sua missão institucional de transmitir o conhecimento da língua e da cultura da França e de reduzir as fronteiras de nosso Estado, permitindo que seus estudantes e estudiosos ampliem horizontes e iniciem uma vida pessoal e profissional dotada do sentimento do mundo e da humanidade. Por lá já passaram inúmeros de nossos mais vitoriosos profissionais e uma quantidade imensa de pessoas que se tornaram mais felizes a partir daquela forma qualificada de convivência.

No início deste mês tivemos a grata felicidade de participar, na condição de membro do seu Comitê Diretor, da renovação de um importante convênio que permite o acesso facilitado dos alunos da rede pública ao aprendizado da língua francesa. Assinado pela Presidente da Aliança Francesa, Gileude Peixoto, em presença do Professor Urbano (Chefe de Gabinete da Secretaria de Educação do Estado do RN) e do Comitê Diretor da Aliança Francesa, foi dado mais esse passo em prol da educação de nossos estudantes da rede pública e do reconhecimento do prestígio e da credibilidade da Aliança Francesa de Natal, entidade que já nos brinda há mais de 50 anos com seus excelentes serviços educacionais e culturais. Já se anuncia, inclusive, que nos próximos dias será inaugurado o site oficial da instituição e concluída a reforma e ampliação de sua biblioteca.

Portanto, mais notícias alvissareiras de uma instituição extremamente marcante em nosso Estado.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

ao topo