“A Bahia e a felicidade”, de Renata Marinho

Poxa, meu bem, esses não são tempos para os sonhadores.
Veja só, meus ideais já foram fortes, 
hoje os percebo como utopias frívolas.
 
Olho ao meu redor e vejo dor nos rostos próximos.
Mas meu coração, meu bem, clama por luz.
 
Minha vontade mesmo é largar tudo
e fugir com você pra Bahia.
Quem sabe a beira mar e o calor do sol tragam o amor de volta a minha vida?!
 
Água de coco e felicidade.
Talvez cultivar plantas e adotar animais nos faça enxergar a face de Deus.
 
Nos homens sigo vendo o brilho de ambição e vaidade.
Queria eu ter coragem de gritar meu amor, meu bem,
mas esses não são tempos para os sonhadores.
 

Acadêmica de artes visuais, com licenciatura em Artes ufrn e mestrado em Arte e pesquisa em história da fotografia. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo