A decadência da poesia

“Esse artigo serve para defender o seguinte ponto de vista: que a poesia tem lugar em uma língua; que ela é feita com palavras – sem palavras não há poesia; que um poema deve ser um objeto artístico da língua com quatro dimensões, ou seja, composto para uma página, para uma voz, para um ouvido, e por uma visão interior. A poesia deve se ler e dizer”.

aqui

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. Gustavo de Castro 16 de abril de 2010 16:32

    Que bobagem este homem está dizendo! A Poesia não se restringe à palavra escrita, nem lida, nem falada. Ela está mais para um modo de ser do que um modo de fazer. A poesia atravessa o homem que atravessa a poesia.

  2. Jarbas Martins 16 de abril de 2010 13:05

    Poeta com poeta se entende, Jacques Roubaud. Não é por definir poesia como gênero literário que vamos arengar aqui. Arengar, aliás, lá em Angicos, é briga de irmão.
    Gosto de sua Poesia, Roubaud, como gosto de Homero. Homero oralizado, verbalizado, letralizado e até Homero em formato de bolso, como prefere o meu amigo e poeta Pablo Capistrano.Se aparecer aqui em Natal, já está convidado para tomar um cafezinho no São Luiz. abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo