A deriva

Benito Barros

Ao longe,
lá longe,
duas barcaças,
no aguardo da maré cheia
que lhe permita o cais
para se encherem do melhor sal.

E vamos nós à noite
– leves barcaças.
Nem lua cheia, nem cais.
Apenas o melhor sal
das obscenas
surpresas.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo