A desintegração romanesca de Frida Kahlo

Por Alcino Leito Neto

“YO SOY LA DESINTEGRACIÓN”, escreveu Frida Kahlo em seu diário. Magdalena Carmen Frieda Kahlo y Calderón passou boa parte de sua vida na cama e em hospitais, entre dores terríveis e intervenções cirúrgicas sucessivas (mais de 20). A série de padecimentos físicos da artista mexicana ao longo de seus 47 anos de vida é inumerável.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 2 =

ao topo