A favor de mais mulheres no SP

Tácito e demais amigos:

Neste último dia do ano, temos de que nos orgulhar em relação a nosso Substantivo Plural: os mais diversos temas, argumentos, ousadias, seriedade e escracho se fizeram fraternalmente presentes como marcas de nossas qualidades. Soubemos ser profundos e superificiais porque profundidade sem superfície é espaço vazio.
Uma auto-crítica necessária: temos um número ainda limitado de colaboradoras mulheres. Nada contra nós, homens, falarmos. Mas vozes femininas enriquecem quaquer coro.
Proponho maior estímulo à presença das meninas de todas as idades, inclusive no espaço de colunas – com todo o carinho que Carmen já merece de nós.
Abraços para todos e todas:

**********

Apoiado Marcos. Coincidentemente, Gustavo de Castro, que passa uns dias por aqui e com quem tenho me encontrado algumas vezes, chamou atenção para isso. Eu, claro, concordo plenamente com ambos. E faço um apelo público por mais participação feminina. As mulheres interessadas em ter uma coluna/página podem entrar em contato comigo.

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo