A Gea, a água e o Caju

Agrediram a Terra que chora em ácido, aquece e estufa. Suas entranhas foram poluídas. A nossa maravilhosa água foi nitratada. Gea, residência do homem que ti agride. Matas devastadas numa terra desolada. Um amigo tenta em sinal de desespero segurar mais uma das árvores derrubada no Campus da UFRN. A Terra geme e despejas lavas. Açoitam e riscam a sua superfície. E ainda assim responde com a primavera. Dar abrigo. Alimento e Vida. Nosso maior patrimônio é um pé de caju. Símbolo da nossa morada.

“Cajueiro pequenino/ carregadinho de flor, /À sombra de tuas folhas
Venho cantar meu amor (…)
Tu és sonho querido/ de minha vida infantil/ (…)

Cajueiro – Anacardium occindentale L. ( Acajuba occidentalis Gaertn., Cassuvium pomiferum Lam., reniforme Blanco, C. solitarium Stokes), da família das Anacardiaceas composta de cerca de quinhentas espécies. O cajueiro oferece os mais completos recursos de exploração; fruto achenio reniforme( em forma de rin) de 2 cm pendente de um receptáculo carnoso mais ou menos piriforme, amarelo, vermelho ou roseo- amarelo, aromático e comestível. Fornece madeira de cor rosea e que recebe bem o verniz, forte e de longa duração, própria para a construção civil e marcenaria. A casca é adstrigente , tonica das diversas astenias , estimulante dos centros medulares. É também utilizada como como loçòes e gargarejos contra aftas e inflamações da garganta e outras aplicações industriais. O Cajueiro é uma grande árvore nos bons terrenos, chegando a 20m de altura com diâmetro proporcional. Ao chegar a esta máxima altura ele desce pelos próprios galhos que se arrastam com humildade pelo chão ( vejam a maravilha que é o maior cajueiro do mundo situado em Pirangi – RN). Antes de qualquer súplica Nordestina, ele traz refrigério e repouso para o homem exausto da labuta.

Fontes: O Cajueiro Nordestino – Mauro Mota
Dicionário das plantas úteis do Brasil- M. Pio Correas

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

ao topo