A história dela

Todo dia é o dia dela. Ela é aparte essencial da vida e responsável pelo nascimento do mundo. No entanto, uma parte pouco comunicável e desconhecida de muitos. Para alguns povos a vagina tem um poder apotropaico. Ou seja, sua exposição impede que o mal aconteça. Afugenta os demônios. Diz um provérbio catalão: “o mar se acalma se vê a boceta de uma mulher”.

O escritor Fausto Wolff, autor do excelente livro “A Milésima Segunda Noite”, traduziu o livro ” Monólogos da Vagina, da escritora Eve Ensler. Esse livro foi transformado numa peça de teatro de grande sucesso. Muito interessante observar a relação que as diferentes culturas têm com a Vagina. Em alguns países muçulmanos as mulheres são mutiladas barbaramente ao arrancar-lhes o hímen. Muitas mulheres nunca tiveram um orgasmo. Outras, só descobriram o orgasmo tardiamente. A masturbação feminina é um outro tabu para muita mulheres.

Um outro excelente livro sobre a vagina é ” A História da V” da Catherine Blackledge.

Abrir essa bela caixa de Pandora, muitas vezes desconhecida das próprias mulheres é o que pretende essas autoras, em livros extremamente didáticos e oportunos. O homem precisa conhecer a história dela, para melhor lhe servi-la.

Causos e curiosidades sobre ela

“O nome vagina significa em latim “bainha de rola”, ou seja, um estojo que guarda a lâmina de nervo de uma arma negra ou branca. Pode-se dizer que o nome “vagina” é genericamente algo que “envolve” outra coisa. No caso da
“bainha” a espada, mas pode ser usado também para o prolongamento do pecíolo ao redor do caule, por exemplo. Sua existência muitas vezes esteve ligada ao nariz.

Apesar de, no estudo da biologia, “vagina” ser apenas um canal da “vulva”, muitas vezes se utiliza o termo “vagina” (e seus sinônimos) para designar a vulva toda.

Alguns templos se assemelham à yoni (vulgo xoxota). Tenha entrada. Depois as várias salas são os grandes e pequenos lábios. Alguns ficam perdidos ao adentrá-lo.

A Xoxota é devoradora. Dentada. Muitos já morreram, ou por sua falta ou por excesso.

Seus nomes são os mais variados: Xibiu, vagina, xoxota (ou xota), xana (ou xaninha), vulva, perereca, perseguida, xereca, piriquita (ou periquita), Bainha de Rola, buceta (ou boceta).Gosto mais de Buceta. É mais popular e poético. No nordeste quando há uma grande confusão, dizemos que é um “rebuceteio”.

Poetas teceram versos de louvor a essa pérola que se esconde guardando muitos mistérios. Do poeta José Antonio Assunção é o verso “Há mais que pérolas nesta ostra que apertas entre as coxas”

De um autor desconhecido é:
A HISTÓRIA DA XOXOTA

Sete bons homens de fino saber
Criaram a xoxota, como pode se ver:
Chegando na frente, veio um açougueiro
Com faca afiada deu talho certeiro
Um bom marceneiro, com dedicação
Fez furo no centro com malho e formão
Em terceiro o alfaiate, capaz e moderno
Forrou com veludo o seu lado interno
Um bom caçador, chegando na hora
Forrou com raposa a parte de fora
Em quinto chegou sagaz pescador
Esfregando um peixe, lhe deu o odor
Em sexto, o bom padre da igreja daqui
Benzeu-a dizendo: “É só pra xixi!”
Por fim o marujo, zarolho e perneta
Chupou-a, fodeu-a e a chamou de boceta.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

ao topo