A Jarbas com carinho

café

Frutas bem frescas…
Café com leite, bolo de milho
E pão-de-ló…
E uma maço de beijos,

Coração pulsando forte,
Minh’alma, de amor se veste…
Pássaros em revoada,
Sol nascendo; mais um dia…

Abro a janela,
Viver é verde, azul, todas as cores..
Primavera e flores… Mãe natureza…
Bom dia, mestre.

(22/09/2011).

(Ednar Andrade).

Comentários

Há 12 comentários para esta postagem
  1. Ednar Andrade 28 de setembro de 2011 15:11

    E eu Anne, atrasada na resposta do teu lindo comentário, tenho aqui um café fresquinho, fumegante, aceitas?

    Beijos.

  2. Anne Guimarães 24 de setembro de 2011 13:10

    Só hoje vejo – e sinto – a foto-poesia de Anil ao meu poeta preferido… homem alto em simplicidade e natureza brilhante, quem eu admiro e amo eternamente. Fico feliz Ednar, amiga querida, por compartilhar essas delícias ensolaradas num “bom dia” que Jarbas merece em todo amanhecer.
    Beijos doces a todos.
    🙂

  3. Ednar Andrade 23 de setembro de 2011 13:19

    Jarbas, grande mestre, Romana! Abraço.

  4. Ednar Andrade 23 de setembro de 2011 13:17

    Boa tarde, poeta Rolim!

    Confesso, um tanto atrasada, mais autêntica. Agradeço os comentários, não só este, que às minhas poesias tens feito. Desculpe-me a demora, a falta dos agradecimentos. Ás vezes o tempo me falta. É Primavera poeta, “embriaguemos-nos de poesia”, já dizia Baudelaire.

    Abraços.

  5. Jarbas Martins 23 de setembro de 2011 10:30

    Claro que me lembro de vc, querida Romana.Como poderia esquecer de uma jovem com um nome desse? Bjs..poetisa.

  6. Ednar Andrade 23 de setembro de 2011 7:43

    Obrigada, Rilke pela leitura do poema. Abraço. Avante… Rsrs…

  7. Ednar Andrade 23 de setembro de 2011 7:40

    Obrigado? Não há o que agradecer Jarbas. Tu mereces o nosso carinho; o meu e o de todos. Bom dia. Um abraço SP para ti.

    PS: Quanto à simplicidade dos meus gestos, nas minhas fotos, sou mesmo assim. Avó apaixonada por três netos. Uma véia simples… Rsrs… Que gosta da natureza e da simplicidade de tudo.

    Palavras que gosto de ter comigo:
    Simplicidade;
    Amor;
    Liberdade;
    Gratidão;
    Amizade.

    Você é meu amigo, ainda virtual, por sua culpa, não faltaram oportunidade de dar-te um abraço. Você não veio… Quem sabe na próxima. Combinarei com o Editor. Eu e Anne temos um plano para outubro.

  8. Romana 22 de setembro de 2011 23:30

    Jarbas foi meu professor e me orgulho muito disso!!! Lições de cultura e cidadania de uma alma poeta e amiga! Sempre alegre e doce com todos da turma, levava felicidade diária aos estudantes de Comunicação Social…ele certamente não se lembra de mim de lá, eu era uma entre tantos. Já ele era um em tão poucos… Um verdadeiro mestre…agora muito feliz, imagino eu, com seu ilustríssimo Vasco da Gama! Abraço saudoso, professor!

  9. Anchieta Rolim 22 de setembro de 2011 22:49

    Ednar, como sempre seus versos são lindos e dá pra aliviar um pouco tudo isso. Boa noite!

  10. Jarbas Martins 22 de setembro de 2011 18:35

    I like Rilke

  11. Rilke Vieira 22 de setembro de 2011 17:22

    somente jarbas martins para me tirar do auto-exílio virtual a que me impus nos últimos tempos, parabéns poeta, confesso que aqui e ali, escondido de mim, folheava as páginas deste parnaso, sempre na esperança de encontrar algum escrito seu, ainda outro dia joão cabral comentou comigo sobre a qualidade da poesia publicada aqui, no que eu concordei de imediato, e fui além, chamando atenção para a veia poética, confessional e sentimental, enfim, para a inspiração dos nossos bravos bardos e bardas, “inspiração é tudo”, soltei a máxima, com a cara mais lisa do mundo, pela cara de joão, ficou claro que ele concordava comigo, avante meninos e meninas que a poesia urge, digo, moge.

  12. Jarbas Martins 22 de setembro de 2011 16:23

    obrigado, Ednar, pelo teu gesto aconchegante, carinhoso, pelo que existe de ternura e mansidão no tema, ritmo e palavras do teu poema, e em tuas fotos- uma onde você está com sua filha ou neta, e esta do fogão com uma chaleira, numa cozinha. tudo tão simples, doméstico, verdadeiro. beijos, minha poetisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo