A liberdade campeã!

Há alguns anos eu leio diariamente e envio contribuições a este espaço virtual chamado Substantivo Plural (eventualmente faço algumas pausas mais longas). Todos que conhecem este espaço absolutamente original e de constatado sucesso, são sabedores de que um dos elementos da fórmula vitoriosa que o jornalista Tácito Costa aplicou e empreendeu por aqui é justamente o da mais ampla liberdade de expressão de todos os que participam desse veículo coletivo de comunicação dando contribuições mais efetivas e constantes, ou mesmo com eventuais e irregulares participações.

Nesses anos que frequento com leituras assíduas o SPlural (mesmo em viagens dentro ou fora do Brasil), tenho percebido que o jornalista Tácito Costa  se comporta sempre de maneira imparcial, honesta, generosa e elevada, sem privilegiar indivíduos ou grupos, demonstrando maturidade humana e intelectual, permitindo a todos a expressão de seus pensamentos, mesmo que por vezes possam parecer exdrúxulos e/ou excessivos.

Acontece que a liberdade é um elemento valioso, mas que – quando usado sem a devida regulação e dosimetria – pode provocar danos. E as pessoas nem sempre se apercebem disso e – às vezes – terminam “queimando” a sua dose diária em desbordo e contrariedade aos limites éticos, estéticos e de outras naturezas (inclusive, os da legalidade) que deveriam, por princípio, por educação e por norma de boa conduta social, serem obedecidos.

Isso tem se tornado comum no seio da internet. E este espaço – justamente por seu caráter libertário e absolutamente democrático – tem sofrido os efeitos dessa prática desmedida de alguns.

Não poderia ser diferente? Poderia.

Se todos tivessem a noção exata de seus limites quanto ao uso das liberdades, alguns problemas que têm surgido aqui sequer teriam lugar e, portanto, não trariam os efeitos danosos que exsurgem eventualmente. Mas, o fato, é que – quanto maior a abertura – mais se obtém vícios e atuações afetadas nessa seara de nossa prática intelectual.

E isso vale para todos nós,  todos nós, inclusive para mim, que não seria desonesto a ponto de me excluir nesse momento.

Por isso, em face da necessidade de uma tomada de consciência coletiva, substantiva e plural (para usar as palavras de ordem do título deste blog), peço a todos (mesmo não detendo procuração para esse fim) uma lúcida e serena parcela de contribuição nesse momento e principalmente daqui para frente.

Vamos conter nossos impulsos de agressão, de exposição de vaidades, de demonstração de orgulho, de afetação, seja lá do que for. Vamos recolher os nossos lixos pessoais e vamos deixar Tácito Costa fazer o seu trabalho em paz e tranquilo; e, principalmente, não vamos mais incrementar ou prolongar transtornos nas vidas pessoais de ninguém, de ninguém! Ora, nenhuma arte se sustenta em meio a perturbações de toda ordem, principalmente quando em meio à prática de ódio, de preconceitos, de ataques pessoais, de rancores, de egoísmo, de tentativas de destruição de reputações…Em nome de quê? De nada!

Há indivíduos intelectuais que se levam extremamente a sério e não percebem que aqui também é um espaço lúdico, afetivo, de expressão livre, de debates respeitosos (mas com humor), de falhas, de equívocos estéticos e de outras ordens. Mas, aqui é o espaço da liberdade mais ampla que jamais vi na internet. E isso merece o nosso respeito e nossa contribuição consciente e justa. Para sermos justos, também, com Tácito Costa, esse já veterano ícone do jornalismo e da comunicação potiguar e novo símbolo do bom jornalismo e da boa comunicação na internet.

Vamos fazer nossa parte e limitar – por nós mesmos – o uso de nossas liberdades. Caso contrário, teremos que responder diariamente a esta pergunta: – haverá poesia em meio a uma arena ensanguentada?

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 6 comentários para esta postagem
  1. Anne Guimarâes 27 de fevereiro de 2011 12:53

    Queridos Lívio, Tácito e demais colegas…
    Esses últimos dias fiquei pensando – angustiadamente – nessas ocorrências tristes aquii no SP… tentei escrever, mas não consegui exprimiri o que Lívio fez – feliz e carinhosamente – agora.
    É exatamente isso, amigos.. está dito em claro e audível som de harmonia.
    Que o Substantivo Plural continue áureo na sua essência e que todos nós sejamos “colaboradores” deste espaço-jardim potiguar.
    Que as sementes plantadas por Tácito cresçam bonitas e frondosas e que os frutos adocem os nossos desejos de crescimento coletivo.
    Abraços ternos.
    🙂

  2. @Aline_Patricia 27 de fevereiro de 2011 11:21

    É isso aí, Lívio, vc deu um show de lucidez.
    Seria lamentável ver o nosso (me apropriei um pouquinho dele também)
    SP minado por atos e gestos nada nobres, como vc expos.
    Enfim, a vida segue.

  3. Tácito Costa 27 de fevereiro de 2011 10:35

    É por aí Lívio. A natureza da net é de conflagração. Mas isso não deve resultar em intolerância. Em ódio. Qtas. confusões não já presenciamos aqui? Depois as coisas voltam ao normal por um tempo até eclodir outro enfrentamento. Assim tem sido. Assim será, não creio que ocorram mudanças. O que se pode fazer é buscar preservar um mínimo de civilidade e educação e honestidade. Honestidade no sentido de que os santos, difinitivamente, jamais habitaram o SP. Ainda bem, porque tenho horror a tudo que cheira a cultos, religiões e que tais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo