A literatura como salvação

Por Martim Vasques da Cunha

E, de novo, lá vamos nós.

Para onde? Para o mundo maravilhoso das esperanças antecipadas do universo literário.

A bola da vez agora é Jonathan Franzen (foto), o autor de As Correções, que, junto com As Benevolentes, do também xará Jonathan Littell, salvaram a literatura do esquecimento completo nesta primeira década dos anos 2000.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =

ao topo