A mulher e a casa

Por Vicente

Para Tânia Costa

João Cabral de Melo Neto

Tua sedução é menos de mulher do que de casa: pois vem de como é por dentro ou por detrás da fachada.

Mesmo quando ela possui tua plácida elegância, esse teu reboco claro, riso franco de varandas,

uma casa não é nunca só para ser contemplada; melhor: somente por dentro é possível contemplá-la.

Seduz pelo que é dentro, ou será, quando se abra; pelo que pode ser dentro de suas paredes fechadas;

pelo que dentro fizeram com seus vazios, com o nada; pelos espaços de dentro, não pelo que dentro guarda;

pelos espaços de dentro: pelos recintos, suas áreas, organizando-se dentro em corredores e salas,

os quais sugerindo ao homem estâncias aconchegadas, paredes bem revestidas ou recessos bons de cavas,

exercem sobre esse homem efeito igual ao que causas: a vontade de corrê-la por dentro, de visitá-la.

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Tânia Costa 30 de maio de 2010 15:06

    Como é lindo! Eu não conhecia.
    Sempre que encontro Vicente, ele reserva uma surpresa: uma poesia, a indicação de um livro, um autor, um filme. É sempre muito agradável compartilhar com Vicente, leitor contumaz e apaixonado, suas leituras das palavras que se misturam com as leituras/vivências de mundo.
    Muito Grata pela poesia!
    Beijos,

  2. Nina Rizzi 30 de maio de 2010 11:46

    que coisa mais linda…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo