A OUTRA LUZ

Alberto Lacet

A luz – como forma de dizer e estar por perto
Como aliança secundária a se fazer com o nome
Quase uma segunda mágica, menor e extraída
do exponencial refugo e para outro reduto
De outra forma a luz – como nunca foi ou será?

Quem sabe esse guarda-chuva – que o tempo
A tempestade baniu das vestes, e que tentará
Na rota do possível, uma vez mais
Com seu ferruginoso passado de retidão
Descrever um circulo – articulando as hastes nuas

Quem sabe essa outra forma – dada de empréstimo
E sem que por nenhuma específica distinção
Debaixo de regulação extrema e condenada
A garimpar nos escombros, no talhe de lampejos
Invictos pela paisagem – seja outra luz

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo