A terna velhice

Sempre acreditei nos aforismos. Para o caso (ou um ocaso?) a seguir, caem bem o “Antes tarde do que nunca” e o “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. Pois olhem que notícia mais mimosa: “O colombiano Gabriel García Márquez, prêmio Nobel de Literatura, disse que ‘nunca’ viu o ex-presidente de Cuba Fidel Castro ‘tão carinhoso’ quanto na semana passada, quando se reuniu com ele por mais de cinco horas. ‘Tenho a impressão de tê-lo conhecido ontem. Nunca o tinha visto assim, tão carinhoso’, afirmou o escritor ao jornalista cubano Gabriel Molina em artigo publicado no jornal Granma”. De certo Fidel está mais relaxado, aprendeu a usar a net, tem encontrado antigos companheiros revolucionários pelo orkut e tomado um monte de coca-cola sem rum, acompanhado de um sanduíche da McCdonald. É o jeito american-Fidel way of life, longe das ameaças terroristas ou da incumbência de presidir uma ilha tristemente miserável. Tudo numa nice, yes?

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP