A Testemunha

Que filmaço esse A Testemunha, do diretor húngaro Péter Bacsó, que o Cineclube Natal exibiu ontem à noite lá em Nalva Café.  Com humor e sarcasmo inspirados mostra o funcionamento do totalitarismo na Hungria na década de 50. Como todos os regimes ditatoriais são parecidos! Mas o que me chama mais atenção é o clima de delação que vigora neles. A última obra que li que aborda a questão foi o romance O Compromisso, de Herta Müller, que repassa acontecimentos vividos na Romêmia. O mesmíssimo clima político. Um horror. Uma platéia pequena mas bem interessada assistiu o filme, depois estiquei na noite até o Buraco da Catita na companhia de dois cabras da peste, Chico Guedes e Alex de Souza. Uma noitada que valeu e eu quase perdia o filme, se não fosse o comentário do Chico aqui ontem à tarde, eu teria passado batido. Na próxima semana, de terça a domingo, tem o festival de filmes asiáticos, lá no TCP, uma senhora seleção feita pela turma do Cineclube, já me agendei, tentarei assistir a todos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + catorze =

ao topo