Abril em Paris (3)

Em arquivo PDF (aqui) a terceira – e penúltima – parte de “Abril em Paris”, do escritor Fernando Monteiro, que circula a partir desta terça-feira em Curitiba com a edição nº 133 (junho) do jornal RASCUNHO.

Leia a parte 2: aqui

Leia a parte 1: aqui

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem
  1. Danclads Lins de Andrade 1 de julho de 2011 14:10

    Fascinante o conto e D.Luiza, seu magnetismo, sua classe, sua firmeza. Fan-tás-ti-co Fernando.

  2. Jarbas Martins 9 de junho de 2011 6:20

    Relendo o folhetim “Abril em Paris” (3) de Fernando Monteiro.

  3. Fernando Monteiro 8 de junho de 2011 9:36

    Poeta, escrever está ficando difícil porque a recepção dos textos já se não dá no nível de compreensão de antes do advento do Mercado como regulador máximo até da Literatura!
    Entretanto, quando um LEITOR do seu quilate (e leitores somos TODOS, antes de mais nada, aparece com a sensibilidade de Poeta alto para acolher a linguagem, para recepcionar a escrita pelo que se encontra nas suas dobras etc, então, a comunicação — e a compensação — se refaz entre quem escreveu e quem leu, restabelecendo os elos em risco, atual, de se perderem…
    Obrigado.

  4. Jarbas Martins 8 de junho de 2011 5:30

    Ler Fernando Monteirro e este delicioso folhetim, “Abril em Paris”,é uma aventura pelos domínios da linguagem.Quero ressaltar aqui o que mencionei em um comentário anterior: seu personagem mais visível, em meio ao cenário penumbrista, é a densa linguagem poética.Um brinde a Fernando, amigos pluralistas, por ter nos concedido o privilégio de ler, em primeira mão, estas páginas que exalam um refinado maneirismo.Grande Fernando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo