Adeus a Aglaja Veteranyi

Por José Carlos Brandão

Aglaja Veteranyi jogou-se no rio para se suicidar
Com uma tabuleta no pescoço: CÉU AQUI
Como num poema seu.
O rio continuou a correr
E o cãozinho chamado Rosmarie a latir
E o mundo todo estava dentro da mala.
Aglaja Veteranyi anuncia aos quatro ventos
Que o mundo vai se acabar não vale a pena viver
Nem mais um segundo.
É melhor ficar embaixo da cachoeira e cantar
Quem não souber cantar pode latir
Quem não souber latir pode olhar para o céu
Olhar para as estrelas os planetas e as galáxias
Como flores murchas à beira do rio.

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Jarbas Martins 25 de Fevereiro de 2014 11:48

    Pouco sei da romena Aglaja Veternyi e nada do poeta José Carlos Galvão, poeta que tenho a grande satisfação de ler em nosso Substantivo Plural..Que bela surpresa. Estarei à procura desse poeta de ritmos e imagens dilacerantes. pela internet. Quem tiver conhecimento de José Carlos Gavão, faça-me o favor de informar.Volta, Poeta !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP