Ah! o mundo orgânico

Quando pensei não faltar mais novidades dietéticas, cosméticos estéticos e dicas estapafúrdias de endocrinologistas e nutricionistas, eis que me surge a cerveja orgânica e com a classificação plus do momento: “ecologicamente correta”.

Isto mesmo. O nome da maldita é Honey Dew, importada pela Boxer do Brasil. E vejam só: é produzida com lúpulo selvagem e cevada cultivada em fazendas orgânicas sem pesticidas químicos ou fertilizantes.

Para o bem da humanidade boêmia, o teor alcoolico é o mesmo da sempre boa cerveja convencional. No entanto, olhem só, diz o release: a composição de mel orgânico fino com maltes e lúpulos ingleses, torna esta cerveja “maravilhosamente balanceada”.

E o desmonte daquele boêmio de consciência pesada e barriga saliente vem ao final. Além da dica fora dos propósitos do autêntico bebedor de cerveja com colarinho, para experimentar a tal orgânica com gelo e pedaço de limão, vem o velho chamado ao bolso:

O preço médio da garrafa de 500 ml é R$ 22. Coisa pra Agaciel Maia, se ele preferir uma cerveja mais barata.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + treze =

ao topo