Além das dicotomias

Prezado Luiz Gonzaga Cortez:

Vc conclui agora (ironicamente?) que Cascudo foi revolucionário, guerrilheiro etc. Como afirmei antes, evito esse mundo dicotomizado – direita/esquerda, revolucionário/conservador. Stálin matando gente por crimes nunca cometidos era direita ou esquerda? Arendt comentando Eichmann e o conformismo nazista e pós-nazista era esquerda ou direita?

Em relação a Cascudo, não o considero revolucionário, guerrilheiro nem conservador. Penso que ele participou de debates importantes sobre cultura popular que não eram conservadores – o que não significa que eram revolucionários nem guerrilheiros. Aquelas dicotomias são admissíveis para ideólogos em estado bruto. Quando alguém ultrapassa ideologia, via artes ou ciências, elas perdem o sentido – nem tudo é ideologia, existe crítica no mundo.

Aproveito para registrar um comentário de Boris Schnaiderman sobre a marginália de Cascudo nos livros anti-semitas de Gustavo Barroso: críticas, refutações… De acordo com Schnaiderman, essa marginália nem apela para critérios políticos ou teóricos gerais, relembra experiências de convívio de Cascudo com judeus. Brasileiros de ascendência judaica prezam muito os escritos de Cascudo sobre judeus no Brasil.

Cascudo é autor de livros importantes – cabe a quem discordar dessa afirmação demonstrar sua desimportância. Foi integralista, claro, e os livros de Cortez sobre o tema fazem parte de ampla tradição de debate sobre essa corrente política (Chauí, Vasconcelos, Trindade, Chasin). Não penso que o Integralismo dê conta de tudo que a obra de Cascudo abriga. Posso estar enganado, aguardo demonstração desse engano.

Cordialmente:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP