ALERTA MÁXIMO: Natal tem o 3º maior índice ultravioleta do mundo

De Sérgio Henrique Santos, especial para o Diário de Natal

O sol escaldante do Rio Grande do Norte preocupa por causa dos riscos
de doenças de pele. De acordo com informações do Instituto Nacional de
Pesquisas Espaciais (INPE-rn), Natal está em terceiro lugar no ranking
das cidades com maior incidência de raios ultravioleta no mundo
inteiro. “À exceção dos dias de inverno, a capital do Rio Grande do
Norte tem o maior índice de raios UV do Brasil, o segundo maior índice
das Américas (só perde para La Paz, na Bolívia) e, só tem índices
menores do que os registrados na Austrália”, diz Francisco Raimundo da
Silva, coordenador do laboratório de ozônio do INPE-RN, em Natal. O
índice médio na capital oscila entre 10 e 11, numa escala de 0 a 16,
nunca atingido em parte alguma do planeta.

O índice é considerado entre “Muito Alto” e “Extremo”. A partir de 11
é considerado extremo e requer uso de proteção solar, especialmente
para evitar câncer de pele. “O nosso meio-dia solar, por volta das
11h20 da manhã, é quando o céu está a pino. E dependendo do horário de
exposição ao sol, recomendamos protetor solar, boné, chapéu de aba
longa (tipo sombreiro, de 7 cm), roupas de algodão”. As recomendações
se destinam especialmente aos trabalhadores que permanecem no sol
durante muito tempo, como motoqueiros, agricultores, pescadores e
funcionários de construção civil.

Raimundo defende, inclusive, que o costume de evitar sol após 10h da
manhã seja ampliado para mais cedo. “Entre as 9h20 e até às 13h30 o
índice é muito alto. Depois diminui, mas a atenção deve se manter”,
diz o professor. A explicação para a incidência tão alta reside no
fato de que o Estado tem mais de 200 dias de céu claro durante o ano
todo. “Outras regiões do Brasil com alta incidência, como a Ilha de
Marajó e a Amazônia, e países na linha do Equador, se diferenciam por
causa das nuvens”, explica Raimundo.

*Câncer de pele*

A alta incidência de raios ultravioleta em Natal é um dos principais
motivos para a preocupação dos dermatologistas com o aumento do número
de casos decâncer de pele. No ano passado foram 2.930 casos no RN,
sendo 1.280 em homens e 1.650 em mulheres. Os números se referem
apenas aos casos de câncer de pele não-melanoma, também chamado
baso-celular, mais comum entre agricultores e pescadores, provocados
pela exposição prolongada ao sol. A capital tem, ao todo, 740 casos, a
maioria em mulheres (390). No Brasil, foram 53.410 novos casos
registrados no ano passado. Somente para 2011, são esperados 113.850
novos casos. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Outro risco é o de câncer de pele melanoma, a forma mais agressiva da
doença. “É provocado pela exposição solar aguda. É a forma mais rara
do câncer de pele, mas a incidência cresce no mundo inteiro”, conta a
dermatologista Patrícia Freire, da regional Natal da Sociedade
Brasileira de Dermatologia (SBD-RN). “Isso tem nos preocupado por
causa do índice da recorrência da metástase e de mortes nesse tipo de
câncer. Se não for tratado muito precocemente é perigoso por ser muito
agressivo”, enfatizou.No Estado, em 2010, foram 20 casos melanomas
registrados em homens. O número de mulheres com a doença não chega a
quinze, por isso os dados não são disponibilizados pelo INCA.

Para tentar fazer com que a população procure especialistas e mais
informações sobre o assunto, Natal recebe neste final de semana um
caminhão chamado “Tour da Prevenção”, destinado a fornecer orientações
e realizar consultas preliminares. O tour será instalado até domingo
em frente ao Parque das Dunas, no Tirol. “Trata-se de uma preparação
para a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele (CNPCP), que
em Natal será realizada no Hospital da Liga, no dia 26 de novembro”,
diz Patrícia. O tour é feito por um caminhão itinerante, que está
percorrendo dez cidades brasileiras, do Sul ao Norte do país,
realizando atendimentos gratuitos à população para diagnosticar e
tratar o câncer da pele. O câncer de pele corresponde a 25% de todos
os tumores malignos registrados no país.

*Tour percorre todo o país*

Por receber sol o ano inteiro, as autoridades de saúde pública
reconhecem que Natal oferece riscos a quem se expõe à forte
luminosidade, especialmente entre as 9h da manhã e as 16h. “O risco
estimado de câncer de pele, na região Nordeste, é de 61 casos para 100
mil habitantes”, afirma a dermatologista Patrícia Freire. Ela conta
que os casos são ainda mais comuns nos Estados da região Sul do
Brasil, mesmo com a incidência de dias nublados maior do que ao Norte
do país. “A explicação está não na incidência do sol, e sim na cor da
pele das pessoas do Sudeste e Sul do Brasil. Em geral são populações
mais brancas, mais suscetíveis, portanto, à radiação solar”.

O Programa Nacional de Controle do Câncer da Pele realizado pela
Sociedade Brasileira de Dermatologia, conta com apoio da La
Roche-Posay na promoção do tour que leva atendimento gratuito à
população de dez cidades brasileiras. Para o coordenador da Campanha,
o médico Marcus Maia, mais que oferecer atendimentos à população, o
objetivo do caminhão é chamar a atenção das pessoas para o câncer da
pele. “Este tipo de câncer oferece a possibilidade de prevenção
primária, ou seja, é possível impedir que ele aconteça. Este é o foco
fundamental. As pessoas devem serem orientadas a não tomar sol de
forma exagerada para evitar o câncer da pele. A prevenção secundária
também é importante e é nosso objetivo com os atendimentos,
diagnosticar precocemente a doença. Uma vez diagnosticado, este
paciente deve ser acompanhado, para a vigilância do câncer tratado e
de outros que por ventura possam surgir”.

Além de Natal, o caminhão percorre um trajeto que inclui outras
capitais como Palmas, São Luis, Teresina, Fortaleza, João Pessoa,
Recife, Salvador e Rio de Janeiro. Destas, as quatro primeiras estão
recebendo a visita inédita do tour. “Este ano teremos muitas visitas
no Nordeste. É importante salientar que as pessoas desta região estão
naturalmente mais expostas ao sol, tanto em seus momentos de lazer,
quanto em muitas atividades profissionais que as deixam expostas”,
explica Marcus. Os especialistas realizarão o exame de sinais, pintas
e manchas e, apresentando qualquer suspeita da doença. Os pacientes
serão encaminhados para tratamento gratuito nos serviços credenciados.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo