Amado Mestre

Tu que fostes tantos deixastes uma plêiade de seguidores. Um clown que fez rir gerações com um humor sadio e sem apelações. Fazias parte dessa grande geração que não precisava dizer palavrão para comunicar ( José Vasconcellos, Golias ). Aprendemos muito na Escolinha do professor Raimundo. Ali reunidos os grandes do humor nacional: Grande Otelo, Costinha (Lírio Mário da Costa ) e o inesquecível e culto Rolando Lero (Rogério Cardoso). E o salário do mestre ainda continua ÓOOOOOOOOO !!!!!!!!!!!!.

Compositor de marchas, sambas, etc. Gravou o antológico disco Baianos e os Novos Caetanos. Escritor de uma dezena de livros. O maior comediante do Brasil foi também um grande criador de personagens inesquecíveis que faziam parte da grande família brasileira. Criou mais de duas centenas de personagens lembrados em bordões repetidos ad nauseam. Caladaaaaaaaaaaaaaaaa. “Sou safado, lascivo e gostosinho”. Casou uma meia dúzia de vezes. Teve sete filhos mais um adotivo. Foi pintor e nunca esqueceu o seu Ceará. Viveu tudo intensamente. Trabalhou muito. Suas criações são eternas e muitas vezes nos vemos sorrindo sozinho lembrando Chico.

O dia 23 de abril é o dia mundial do livro em homenagem a Cervantes. Proponho que o dia 23 de março seja o dia mundial do HUMOR. Universal com Cervantes, Chico foi um dos maiores comediantes do mundo. Não posso consertar o mundo, mas posso denunciá-lo, gostava de dizer.

Chico fez parte da grande época do rádio. Foi ai que tudo começou e onde ele mais brilhou. Em tempos de BBB e zorras mortais, ele podia dizer como disse outro grande comediante, Groucho Marx : “Acho que a televisão é muito educativa. Todas as vezes que alguém liga o aparelho, vou para a outra sala e leio um livro”.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo