amor – iii

uns três mil quilômetros de saudades.
todos tabacos por fumar
e não fumar
e não comer
e ficar “dançada”.

infindas noites zumbi(z)ando
manteigas. tangos.
o corpo pintado a boca-mão
— eu, musa e papel
suada, borrada,
miscigenada aos lençóis e
pelos-pele.
eu bailarina giro-luas.

anelos impregnados
por todos dedos-cantos
fados.

o lixo interrompido pela melo-dia-voz
: como não dizer
que tudos quero?

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + dezessete =

ao topo