“Ancestralizada por palavras de outras mulheres”, de Maluz Maheros

ancestralizada por palavras de outras mulheres
me tornei pesada e avulsa
mas forte
meu útero efervescente
burila as palavras para o poema

disperso meus passos nos paralelepípedos dessa cidade perdida

com as pernas lisas
diluo os pedaços de meus malfeitores
derramando suor-amálgama

com os calcanhares friccionando o solo
esburaco
preparo o asfalto para a chegada de novas sementes

em espelhos com capas e títulos
desmancho-me
emparedada
reconstruo-me

o farfalhar de páginas brancas enfileiradas
vestem meu novo corpo

a cada velha deusa hospedada em minhas pálpebras
retiro novos significados
refaço meu idioma

Arte: Wendy Norris

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo