ANOTAÇÕES

sol vendo estrelas

a dor de vê-las

veia veneno

correndo dentro

verbo sem erva

sem verba serva

grito da alma

pedra na palma

outro poder

contra o que der

calo do dia

palavra ardia

cova vizinha

rinha nem linha

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 5 comentários para esta postagem
  1. Anchieta Rolim 23 de setembro de 2011 11:05

    É isso ai grande Marcos…grito da alma…

  2. Jarbas Martins 22 de setembro de 2011 10:54

    Preservemos Pipa, Marcos Silva.Preservemos o FLIPIPA.

  3. Marcos Silva 22 de setembro de 2011 8:18

    Abraço, Jarbas

  4. Jarbas Martins 22 de setembro de 2011 6:56

    Um remorso de Raskolnikoff por eu não ter lido “Crime e Castigo” em russo.E ter lido um poema em francês de Nísia Floresta.

  5. Jarbas Martins 22 de setembro de 2011 5:15

    poeta !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo