Antologia 2020 entra na reta final do financiamento coletivo

A partir de experiências pessoais e profissionais, os autores da antologia 2020 contam como foram pegos pela pandemia, como tiveram que se adaptar, suas perdas, dificuldades e conquistas durante esse acelerado processo de autoconhecimento.

Nomes como César Ferrario, Henrique Fontes, Antonino Condorelli, Marcelo Tavares (Panelovski), Margarida Knobbe, Marina Estevão apresentam histórias variadas.

AQUI VOCÊ PARTICIPA NA CAMPANHA DE FINANCIAMENTO DO LIVRO

Há quem, com parentes na Europa, tenha começado a viver o temor da pandemia antes que ela chegasse ao Brasil; quem ficou meses em casa sem outro ser humano e na companhia de gatos; quem já vivia em isolamento há anos; quem não pôde parar de viajar entre duas cidades para continuar trabalhando.

Margarida Knobbe

Também teve quem parou completamente, pois sua atividade dependia de público; teve gente que manteve o humor e fez os outros rirem em época de medos e incertezas; quem sentiu que ainda existe solidariedade; quem sofreu com o ódio crescente; quem superou a doença, mas viu a morte dentro de casa.

César Ferrario

Tendo experimentado 2020, cada autor começa a pensar em como ter uma vida melhor, em formas mais eficientes de tocar sua profissão, em como podemos ser úteis e mais compromissados com temas que interessam a todos.

Como 2020 vai impactar a educação nos próximos anos? Como fica nossa saúde mental? Estamos mais solidários ou o desprezo pelo outro continua em alta? Como está nossa relação com a verdade, o conhecimento científico e os fatos em geral? Preferimos negar o óbvio ou vamos enfrentar a realidade?

Henrique Fontes

Ainda é possível fazer piadas, rir e ser feliz? Como ficam as atividades sociais e nosso sentido de coletividade? Beijos e abraços ainda existirão no mundo real? E o amor?

Este é um livro-documento em que amigos se abrem com outros que têm experimentado o mesmo caos e insistem em sobreviver.

“Meu texto é sobre narrativas de futuro, sobre criar caminhos da saída através da dramaturgia e de narrativas do que virá. É um texto que analisa um pouco o que aconteceu este ano. Eu chamo a Covid de Capite 20, que seria o capitalismo no século XX, do qual somos reféns”, diz Henrique Fontes.

Fortunella Casa Editrice

A Fortunella Casa Editrice nasceu como um selo, em 2013, com um livro em homenagem a Federico Fellini. Em 2015, foi formalizada e se transformou em uma editora com foco em cinema, teatro, artes visuais, cultura brasileira e jornalismo.

Neste mesmo ano, lançamos nosso primeiro projeto de financiamento coletivo. Em 2018, outros dois. Todos bem-sucedidos.

Livro cria boas expectativas

Lançaram o Paneloviski (2016), que vai ganhar sua terceira edição no próximo ano, e o Década Carmin (2017), com as dramaturgias deste que é um dos mais premiados grupos de teatro do país.

A partir de 2020, com esta antologia reunindo autores já publicados e outros que estão chegando agora, passaram a usar um perfil próprio para gerenciar campanhas no Catarse.

A editora aposta na força do leitor, que prestigia os livros desde quando ainda estão começando a ser gerados.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo