Aprendiz

mas mas quem me dera quem dera eu ser um aprendiz de poeta sim aprendiz de poeta poder assistir as aulas de sensibilidade da flor do vento do voo do passarinho do imaginário que nos passa desapercebido ah quem me dera digo quem dera eu ser um aprendiz de poeta poder olhar pra chuva e dizer ei sou seu amigo pois eu estou aprendendo a ser poeta e ela me corresponder com olhar aquoso sim o olhar que só ela tem um olhar de chuva de chuva chovendo ah mas dirão os catedráticos os doutores sabichões duvido você passar para aprendiz de poeta ah mas eu relevo pois sonho de criança adultos não tomam ser aprendiz de poeta poder não poderoso mas poder um poder bem simples assim como a poesia que o aprendiz de poeta faz ou melhor rabisca nas entrelinhas dos seus passos ditados nos quadros a giz dizendo a professora fui eu que fiz ah aprendiz de poeta ser encantado sem ser encantador aprendiz de poeta dirá meu beija flor beijei seu néctar para molhar sua caneta e desejar bom dia à sua amada dar um beijo na sua mamãe dizendo obrigado por me matricular para aprendiz de poeta poeta não como o carlos o castro o olavo o fernando quiçá um cascudo mas só em ser um aprendiz de poeta é uma vitória de uma vida dividida entre o ser e o não querer ser aprendiz de poeta ah quem me dera quem dera eu ser

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Lívio Oliveira 19 de maio de 2014 8:12

    Bonito esse texto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo