Artistas e militantes ocupam prédio do Iphan RN por tempo indeterminado

Artistas e militantes da cultura do Rio Grande do Norte ocuparam nesta terça-feira, 17 de maio, o prédio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan RN), em Natal. O movimento foi recebido de forma respeitosa e pacífica pelos servidores do órgão federal, e permanecerá no prédio histórico da Ribeira por tempo indeterminado.

Ações de ocupação em sedes ligadas ao Ministério da Cultura estão acontecendo em todo o país como resposta ao golpe de Estado, parlamentar-midiático, que levou ao poder da República um vice-presidente conspirador sem qualquer legitimidade e com intenção declarada de implementar um programa de governo rejeitado nas urnas pela maioria da população brasileira. No Rio Grande do Norte, 70% dos eleitores escolheu Dilma Rousseff em detrimento de seu principal adversário Aécio Neves, um dos principais articuladores da trama.

Coerente com a prática golpista, uma das primeiras ações desse desgoverno foi a extinção do MinC, patrimônio dos artistas e do povo brasileiro desde 1985. Um Ministério que, apesar do reduzido orçamento, foi responsável pela implementação de diversas políticas públicas em favor da arte e da cultura, dos mais variados segmentos, garantindo a descentralização e o acesso à cultura a milhões de pessoas.

É importante ressaltar ainda que a extinção do MinC está inserida num projeto de exclusão das liberdades individuais e da produção criativa, que eliminou em menos de cinco dias de desgoverno, sem nenhum diálogo, secretarias fundamentais ligadas às garantias de direitos, a exemplo da pasta de Mulheres, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos, das Pessoas com Deficiência, da Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Agrário e Comunicação. E isso sem falar no fim da Controladoria Geral da União, importante instrumento de combate à corrupção no país, e a intervenção na Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), o que reforça o caráter midiático do golpe.

Combatemos o discurso manipulador de que os órgãos de cultura são trampolim e cabide de emprego para artistas e produtores. Prova disso está no fato de que, enquanto a maioria das casas de teatro do Rio Grande do Norte, mantidas com dinheiro público estão fechadas, são os artistas que mantém suas sedes e espaços alternativos abertos. Também por isso, a ocupação do Iphan RN se torna ainda mais simbólica.

Nós acreditamos e defendemos que não existe Democracia sem Cultura. Diante disso, convocamos toda a sociedade potiguar a se engajar ao Ocupa MinC RN para reforçar e ampliar a construção dessa resistência.Desde o início do movimento uma vasta programação artística e política está sendo debatida e organizada por todos. As ações vão desde debates, oficinas, ensaios abertos e apresentações culturais.

O MinC é nosso e a Democracia também! #OcupaMinCRN

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP