As formas do feminino

Por Henrique Marques-Samyn

A obra de Marize Castro é necessária: trata-se de um alento renovador em nossa tradição lírica que, enquanto conquista estética, concede voz a formas de subjetividade contemporâneas, mormente no que tange às configurações do feminino. Pujante e arrebatadora, selvagem e indomável, a poesia de Marize Castro celebra uma mulher que sabe encerrar, em si, o absoluto.

aqui

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. Jarbas Martins 6 de julho de 2010 11:53

    parodiando haroldo de campos

    que a flor florize
    que o colibri colibrise
    que nina rizzi
    que marise marise

    beijos para as duas

  2. Gustavo de Castro 6 de julho de 2010 11:50

    marize castro é mesmo uma grande poeta. uma das melhores vozes femininas do país…

  3. Nina Rizzi 6 de julho de 2010 0:52

    feliz o artigo de henrique. a poesia de marize castro é mesmo isso: precipício, abismo. olhar seus poemas, depois de comê-los, é como olhar aos olhos e ver o fim. e se principiar.

    ô, da gosto mesmo ver uma mulher escrever assim. longe da segura linha do trem.

    beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo