As melhores músicas de Amy Winehouse

Rehab, You Know I’m No Good e Back to Black foram algumas das músicas mais famosas de Amy. Esse sábado será marcado pelo resto da história como o dia em que a Amy Winehouse morreu, aos 27 anos.

aqui

Comments

There are 17 comments for this article
  1. Rafael 31 de Julho de 2011 18:01

    Eu amo back to black, valerie e help yourself

  2. Cellina Muniz 31 de Julho de 2011 21:58

    Adoro “Tears Dry on Their Own” e “Me and Mr. Jones” … Em meio a tanta porcaria que toca por aí, ela com certeza vai fazer falta. By, Amy!

  3. Magide 14 de Agosto de 2011 9:20

    Perdemos uma das melhores cantoras dos últimos tempos, uma vez que só estamos fazendo porcarias musicadas.
    Me and Mr Jones sem dúvida uma das melhores músicas.

  4. Marcos Silva
    Marcos Silva 14 de Agosto de 2011 11:45

    Amy foi uma cantora de qualidade, meio irregular. Dava-me a impressão de ter potencial vocal que o visual e a vida privada sufocavam. Maria Bethânia, num espetáculo de alguns anos atrás, convidou Nana Caymmi e Miúcha para dividirem o palco com ela, dizendo que o Brasil tem as melhores cantoras do mundo. Feitos os descontos, Bethânia tem alguma dose de razão. Com quem compararíamos Ângela Maria, Nora Ney, Maysa, Elis Regina, Leny Andrade? Tá bom, os EEUU tiveram Sarah Vaughan. E no tempo de Amy – passado tão recente, presente mesmo – a safra brasileira também não anda (andava) das melhores, excetuando as veteranas.

  5. Luiz Lima 14 de Agosto de 2011 18:35

    Alem de Sarah Vaughan; Ella Fitzgerald, Billie Holiday, Dinah Washington, Helen Merrill… E Joni Mitchell!
    Brasil em tempo presente: Luciana Souza e Monica Salmaso

  6. Jota Mombaça 14 de Agosto de 2011 18:37

    Marcos Silva, vamos ouvir a voz sincera da nova safra de cantoras-compositoras! Mas também não ignoremos Talma de Freitas. Para ver o novo time desfilar seu jeito, sua bossa nova, por que não ouvir Na Confraria das Sedutoras, charmosíssimo álbum do 3 na Massa (Dengue, Pupilo e Rica Amabis) que leva a voz de 14 diferentes cantoras/atrizes? E eu já aviso: não espere nada muito regular, porque no peito dos desafinados…

  7. Marcos Silva
    Marcos Silva 14 de Agosto de 2011 22:34

    Luiz e Jota:

    Vcs têm razão, fui reducionista ao falar nas boas cantoras, além daquelas americanas deixei de lado umas brasileiras ótimas como Elza Soares. Pra me redimir, declaro que mulher costuma cantar melhor que homem – as exceçõe são exceções. Sim, Mônica Salmaso é boa demais (já dei exemplares do cd dela dedicado aos Afrosambas pra uns dez amigos e amigas). E o povo da Confraria é bem legal. Gosto de uma neta de Caymmi (acho que é filha do Danilo) – não é nepotismo daquela família, a moleca canta bem mesmo. Outra raridade nos laços de parentesco vem do lado macho: Ed Motta, escandalosamente ótimo.

  8. Jota Mombaça 14 de Agosto de 2011 23:56

    Ed Motta eu acho chato…

  9. Marcos Silva
    Marcos Silva 15 de Agosto de 2011 9:28

    Amigo:

    Respeito sua avaliação. Considero o som vocal do Ed excelente. O inverso de Ney Matogrosso (que vc muito aprecia): figura ótima pra ver, som vocal sem sustança – mas escolhe bons músicos pra acompanhamento, reconheço.

  10. Jota Mombaça 16 de Agosto de 2011 0:09

    Ney Mattogrosso parece que come as músicas que canta. Ed Motta só canta. Mas vamos deixar tudo pra lá, Marcos Silva… As balas do teu 38 são como açúcar candy no meu sangue! E nesse Brasil quem canta bonito mesmo é o Jorge Mautner, que é estrangeiro feito eu e a Nina Rizzi.

  11. Marcos Silva
    Marcos Silva 16 de Agosto de 2011 7:56

    Jota:

    Sempre vale a pena conversar.
    Ney come as músicas em atitude (coreografia, roupas). No plano vocal, nunca chega a comer, não consegue engolir nem digerir (nem penetrar) notas e quetais. Fica na superfície – mas não existe profundidade sem superfície, claro.
    Ed apenas canta, você tem razão: é obrigação de cantor. Alguém faz falsetes melhor que ele no Brasil? Acho no nível do tio e melhor que Simonal. Talvez Milton Nascimento, na juventude, fosse além.
    Mas penso que cantar é muita coisa, nunca é um estilo só. Gosto tanto de Jorge Mautner quanto de João Gilberto, Mário Reis e Jackson do Pandeiro são do peru.
    Quanto à estrangeirice de você e Nina… Melhor ouvirmos “Brasileirinho” – as versões cantadas por Ademilde Fonseca e Baby Consuelo têm muita energia. Pra mim, tanto faz brasileirinho quanto estrangeirinho. Todo mundo é estrangeiro – strangers in the night. E quem nasce por acaso no Brasil (porque nascer é acaso) é brasileiro. Sem ufanismo nem vergonha.

  12. Marcos Silva
    Marcos Silva 16 de Agosto de 2011 9:05

    Inhana! (da dupla Cascatinha e Inhana)

  13. nina rizzi 16 de Agosto de 2011 13:53

    Marcos:

    nosso estrangeirismo nada tem com a pátria; é uma condição: “todo mundo é estrangeiro”; o que me faz lembrar que “juntos, constituímos uma multidão” (Ovídio).

    Acho a vozinha da Baby tão irritante, não obstante, adoro os Novos Baianos. Mas a Ademilde… embalou a mim e ao Jota dentro de uma caixinha de telemóvel. Como diria em húngaro, chicomgue?

    beijos e beijos. bateu o sinal e devo correr, antes de apreciar mais e mais essa listinha de belas.

  14. Marcos Silva
    Marcos Silva 16 de Agosto de 2011 15:53

    Nina: Baby é figura muito peculiar. Na obra-prima Acabou chorare, ela canta coisas como “Tinindo trincando”, a música baiana e de outras terras deve muito a isso até hoje. Nos 500 anos do Brasil, a Globo reuniu duplas de cantores e coube a Baby fazer parceria com Elza Soares. Claramente, as duas gostaram de estar juntas. Antes, em entrevistas, Baby citara Elza e Ademilde (pois é!) como divas que ela admirava no passado que estava ali tão presente.
    Tem uma outra brasileira que muito me interessa, Isaurinha Garcia. Mas gosto de tudo quanto é língua, como se diz na confecção de feijoada.
    Aproveito pra agradecer ao Jota pela menção às balas.

    Abraços:

  15. Nina Rizzi 16 de Agosto de 2011 23:19

    Um belo encontro, sem dúvida, Marcos. Ave Elza. E essa mulherada toda, ‘bora trazer a Elizeth Cardoso.

    Você tem razão: duas línguas dão mais prazer que uma.

    Um beijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP