As mulheres de hoje e amanhã

Recebo imeiu com a notícia de que cerca de 80% das mulheres preferem o Cialis. Aos desinformados, esse medicamento com nome de cidade indiana corrige disfunções eréteis dos homens. O surpreendente não foram os dados do estudo, mas o foco deste. Ora, até então as pesquisas concentravam-se nas opiniões masculinas. Esse é mais um indício de que neste novo milênio o céu vai ficar rosa.

Cada vez mais me convenço de que o mundo caminha para uma dominação completa das mulheres. E não precisa aprofundar a questão. O argumento é simples. Basta olhar pra trás e ver que elas não pararam de “evoluir”. No sentido, claro, da conquista de espaços. Aliás, a bandeira levantada pela “igualdade entre os sexos” é uma estratégia de tomada de golpe. É só esperar.

Estou convencido de que há uma revolução silenciosa por trás destas passeatas pacíficas feministas. Verdadeiras concentrações e reuniões clandestinas devem estar sendo tramadas em porões e esconderijos secretos por trás de salões de beleza e cosméticos. Desconfie, amigO leitor, quando sua digníssima marcar um chá da tarde com as amigas ou sair para malhar na academia.

“Regime” para as mulheres de hoje, ganhou a conotação da disciplina hierárquica na organização revolucionária, pode apostar. Se falarem em “Celulite” ao telefone, acredite: são palavras de um código secreto para identificar as células da rebelião. Observem que na Argentina a morada presidencial já é rosada. Coisa de Eva Perón, que se fez de vítima. Enquanto pedia para os cabeludos não chorarem por ela, dava a primeira pincelada de tinta na Casa.

Nos Estados Unidos, uma secretária mamou na onça e abalou a imagem do homem mais poderoso do mundo. Agora, a mulher dele, Hillary, pleiteia o cargo. Tudo armação, estratégia dessa gente perigosa, amável, cheirosa e de sexto sentido! Em breve a Casa Branca, que já parece um bolo de noiva, estará pintada de rosa, também. Já imagino a Madonna como próxima secretária de Estado americano.

Enquanto isso, na batcaverna, o maridão especializa-se em jogar futebol, trocar pneu de carro, consertar a torneira de casa e tomar Cialis. Santa ignorância, Batman! Já a Mulher Maravilha trabalha para conseguir proteções social, moral e jurídica – requisitos fundamentais para a dominação do mundo. Até zombam dos cineastas americanos alienados quando assistem filmes de ficção científica, cheios de criaturas horrendas em discos voadores em busca do Independence Day. Ora, bastam mais alguns anos e um 8 de março para o Dia acontecer!

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo