Assim que se faz

Hoje em dia é tão comum achar pessoas que só reclamam e nada fazem que vale o registro: Mr Anderson Foca, produtor musical e capitão do selo DoSol é desses caras que reclamam, sim – e devem – mas procuram soluções, articulações, enfim, meios de promover mudanças e fazer a coisa acontecer (nossa, quanto verbo no infinitivo..rs). Mesmo em evento voltado para as artes visuais, o músico estava lá. Lembro também da vergonha dos dois gatos pingados presentes no encontro do Rumos Itaú Cultural do ano passado. Ele estava lá.

E agora o moço traz para Natal – amanhã (sexta) e sábado (28) – a etapa do Festival Nordeste Independente, com 12 bandas de 3 estados em ação. Os shows acontecem no Centro Cultural Dosol, dentro do projeto Formação, Diversão e Vanguarda. Na sexta se apresentam Venice Under Water, The Automatics, Malaquias em Perigo (PB), Calistoga e Cerva Grátis e Bugs. Sábado tocam Driveout, Fewell, Distro, The Keith (PE), Domben e Gandharva (PE).

Comentários

Seja o primeiro a comentar
  1. DoSol Records 27 de março de 2009 21:20

    Entendo, e nem tô aqui para dizer que sou um ás da perfeição. Até Cristo fez bobagens com Maria Madalena diz a lenda. Nem lembro, o que aconteceu nesse dia, no geral acontece como eu te falei, mais para vc entender como funciona.

    Agora concorde comigo. Quando um cara me elogia porque quer e você vem embaixo (também porque quer) e comenta dizendo o contrário por causa de um dia em que você não curtiu o trabalho do nosso centro cultural dá a impressão de que o blogueiro é mentiroso e que eu sou um canalha.

    Tô aqui para dizer que nem conheço sérgio, vi ele uma única vez fazem três dias. E que você também não me conhece e nem conhece meu trabalho a fundo já que me julga por um dia ruim (possivelmente mais do meu gerente do bar ou do fornecedor que me aluga o som do que culpa direta minha – indireta com certeza).

    Vamos deixar o excelente blog do sérgio em paz, sou leitor desse espaço há um bom tempo.

    Abraço!

  2. Carlos Augusto [Floyd] 27 de março de 2009 21:00

    Bom, não gosto de discutir por posts, mas caro Anderson, adiantamos metade do dinheiro, e umas 3 horas antes do início do show foi solicitado mais uma graninha que seria descontado do total para comprar cerveja. À propósito não faço parte da banda faz um ano e 7 meses. O propósito do meu comentário foi falar de uma forma geral o que está acontecendo em geral em Natal e não falar mal do Dosol. Fica até bonito chamar de Pauta, mas esperamos quase uma hora e meia após o combinado alguém abrir o Dosol entre outros entraves que me fizeram ficar um pouco desestimulado e gerar esse comentário todo.

  3. DoSol Records 27 de março de 2009 20:46

    Carlos, vou te perdoar porque vc naum vai no Dosol nunca (a não ser para tocar) e não deve entender para que o espaço está aberto.

    Quem vai lá sabe que não tem cozinha. Nunca teve e nunca vai ter. Lá não é lugar de baladinhas da madrugada, é lugar de assistir show, quando ele termina ligo as luzes e fim de papo. Vai quem gosta e quem quer. Não deve ser o seu caso, paciência.

    Eu não pedi dinheiro nenhum para comprar nada, para você alugar o espaço para uso, paga metade da pauta antes e paga a outra metade no fim da apresentação. Como não tratei disso com vc, cabe você se informar melhor com alguém da sua banda. Pelo jeito lá não é muito adequado para o grupo de vcs, o que eu concordo (e vou me lembrar em caso de novo contato).

    A bebida pode ter acabado sim, já fui no blackout, music e até em grandes shows onde a bebida tbm acabou. É uma armadilha para quem faz show na noite.

    Se todo espaço para show autoral fosse decadente como o dosol estaríamos em outro patamar sem dúvida.

    A decadência está aberta desde 2004. Cinco anos de decadência, falta de público, shows ruins, eventos pífios. Muito ruim mesmo… 🙂

    Abraço velho e até a próxima.

    Sérgio, obrigado pelas palavras de incentivo.

  4. Carlos Augusto [Floyd] 27 de março de 2009 14:42

    Ele é bom de reclamação. Lembro que a banda Sigma 6 alugou o espaço tão decadente quanto mun-ha para uma apresentação, o cara não colocou absolutamente nenhum petisco no bar, pediu dinheiro para comprar cerveja, que não foi suficiente e acabou no meio do show. Efim, o cara gosta mesmo é de aparecer, mas fazer a parte dele que é bom NADA… ou MADA [que ele adora…]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo