Ativismo de sofá

Che1

Por Ronaldo Bressane

Mais radical, mais acomodada – ou a juventude nunca passou de um mito romântico criado pelas esquerdas dos anos 60?

aqui

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. Marcos Silva 11 de janeiro de 2013 6:40

    Nasci em 1950, vivi a segunda metade dos anos 60 rumo à idade adulta, lembro desse tempo em Natal e do noticiário sobre outras partes do mundo. Entendo que existe muita idealização sobre aquela época, não dá para falar em “jovens” genericamente – a maioria de meus colegas de escola detestava a Tropicália e não gostou dos Beatles a partir de suas gravações mais ousadas. Digo o mesmo em relação a quem é jovem hoje, tanto existe conservadorismo quanto vontade de mudança.
    Agora, vivemos outras sociabilidades, a expressão escrita na net ocupou muito do debate ao vivo. As dificuldades apontadas por Anchieta e Rafael dizem respeito a essa nova situação – até o cinema deixou de ser arte pública para virar consumo privado…
    Em alguns espaços (universidade, principalmente), ainda sobrevive a cultura do debate ao vivo. Não proponho desinventar os computadores, apenas saliento a necessidade de preservarmos outras formas de diálogo e jamais renunciarmos ao debate presencial.

  2. Rafael Mesquita 10 de janeiro de 2013 17:30

    Também já tive essa mesma impressão de Anchieta Rolim. Conheci leões da net, que são gatos mansos pessoalmente. Não sei se é timidez ou covardia mesmo.

  3. Anchieta Rolim 10 de janeiro de 2013 10:12

    “Capilé crê que o individualismo dos 1960 foi substituído pela solidariedade das redes.” O individualismo está justamente nas redes. Tire um cara desses da frente do monitor e coloque para um debate ao vivo, garanto que 90% deles vão tremer na base, se sentirão indefesos. Muitos que conheci através do facebook esbravejando como leões, quando os encontrei pessoalmente pareciam mais cordeiros assustados. O discurso é bem diferente, raríssima a exceção. A net é um mundo de fachada e com muita informação distorcida (escrever protegido por uma tela é fácil, quero ver essas pessoas se expressarem cara a cara). Muitos estão se alienando nesse cárcere virtual que a cada dia afasta mais e mais as pessoas uma das outras, essa sim é a realidade . A frase ” O mal necessário ” nunca foi tão bem aplicada quanto agora. Mas sei que o processo é irreversível e está apenas começando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo