Divulgadas atrações do carnaval de Natal

Por Sergio Vilar.
PORTAL NO AR

As atrações levantadas em primeira mão por este portal para comporem a programação do carnaval de Natal foram confirmadas. Os polos da Redinha, Ponta Negra, Centro Histórico e Rocas receberão shows de nomes nacionais, já com horários e locais definidos, além da festa de abertura do reinado de momo.

A ornamentação da cidade com motivos carnavalescos será realizada pelas mãos do artista plástico Flávio Freitas, de forma voluntária e com início já nos próximos dias. O material e a logística será bancada pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) e até a quinta-feira estará pronta.

No tradicional Baile de Máscaras, realizado há décadas no Largo do Atheneu às quintas-feiras, a Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte) confirmou o mesmo show do ano passado, com a Spok Orquestra de Olinda, uma das maiores orquestras de frevo do Brasil. E falta confirmar ainda a atração local para abertura dos festejos.

A sexta-feira de carnaval (28 de fevereiro) assistirá a um dos maiores compositores da história do carnaval brasileiro: Moraes Moreira. O baiano sobe ao palco montado no Ponto 7, em Ponta Negra. No sábado, no mesmo palco e também às 22h, é a vez de outro tradicional carnavalesco, o pernambucano Alceu Valença fazer seu show.

Domingo tem rodada dupla. No cair da tarde, o bloco mais irreverente da cidade – As Kengas – receberá de presente o show de Mart’nália, no polo do Centro Histórico de Natal. E por volta das 22h do mesmo domingo, um banho de cheiro, um banho de lua com Elba Ramalho, no Largo da Redinha, em dia efervescente de blocos de rua na “praia bonita”, como citou Cascudo.

Completa a programação de shows nacionais o veterano grupo Os Originais do Samba – de onde surgiu Mussum, que mais tarde abandonaria a banda para se unir aos Trapalhões, ainda nos anos de 1970 – que se apresenta no polo das Rocas. O grupo carrega o samba de raíz nas costas há décadas, acrescentando o canto uníssono, a roupa padronizada e boa dose de humor.

O homenageado

 Após ícones do carnaval natalense homenageados pela Prefeitura de Natal, a exemplo do compositor Dosinho e do maior mestre das Tribos de Índio, Brasil, este ano o homenageado do carnaval da cidade é um homem simples, discreto, tímido por demais. É o mais conhecido dos cantores pelos becos e vielas da Redinha. E por ali sua fama se fixa.

João Mendonça é um incansável seresteiro. Faça chuva ou faça lua. Em alta, baixa ou média estação, ele monta seu amplificador junto ao pedestal do microfone, impunha seu violão e sua voz em toda sexta-feira do ano, no chão azulejado do bar O Pé do Gavião. No carnaval ele faz uma festa com suas composições de duplo sentido.

Fora da alta estação, João Mendonça canta para poucos ou para ninguém com o mesmo entusiasmo. Pode aparecer numa sexta-feira chuvosa lá pro mês de abril, maio ou o que for. Ele está lá. E nem parece esperar o festejo de momo, quando o bar fica lotado e o seu CD de marchinhas e composições suas, autorais, vende feito confete.

Editais, leis e continuidade

 O orçamento geral do carnaval da cidade ainda não fechou. Segundo estimativa do presidente da Funcarte, Dácio Galvão, deve girar em torno de R$ 2 milhões. É que a Prefeitura de Natal ingressou com projetos para o carnaval tanto na lei estadual de incentivo à cultura, quanto na lei federal, e há “esperança de que os projetos sejam aprovados”.

Na Lei Câmara Cascudo (estadual), o projeto está orçado em R$ 972 mil. “Tudo leva a crer que teremos esse projeto aprovado. Mas também precisamos captar o recurso junto à iniciativa privada”, acrescenta Dácio. Na Lei Rouanet (federal), o orçamento é de R$ 3 milhões. “Neste caso, o projeto já foi diligenciado e aguarda reunião da comissão para aprovação na primeira semana de fevereiro”.

Dácio esclarece, no entanto, que mesmo com a aprovação dos dois projetos nas leis, o orçamento do carnaval não engordará tanto. “Primeiro porque precisamos captar tudo. Segundo porque há semelhanças entre os dois projetos. Então, neste caso, só um dos recursos será empregado”, disse o gestor.

Uma fonte de recursos inédita na história do carnaval da cidade é a modalidade de edital público para patrocinadores. Foi publicado o edital para o segmento de bebidas, no valor mínimo de R$ 400 mil; para o segmento de telefonia, no valor de R$ 200 mil; e ainda para o de bares e restaurantes, no montante de R$ 100 mil. Segundo Dácio, a prefeitura bancará R$ 800 mil apenas para patrocínio de blocos, troças, agremiações e orquestras de frevo.

“Posso adiantar que, no segmento de bebidas, apenas uma empresa está inscrita até o momento, e o prazo para inscrição se encerra nesta segunda”. Dácio lembra que esse mecanismo de edital público é o mesmo usado na promoção dos grandes carnavais do Brasil, como Rio de Janeiro, Salvador e Recife. “O edital possibilitará a continuidade de grandes carnavais na cidade. Inauguramos novos tempos para o carnaval de Natal”, frisa.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo