Autoridade crítica

Quem destruiu a Petrobrás com a corrupção não tem autoridade para criticar quem está vendendo a Petrobrás. Quem tem autoridade para criticar os dois lados somos nós, população e contribuinte. Quem rouba, quem vende ou abandona patrimônio público se equiparam. Pune-se o roubo após a consumação, por ser falha e incompetente a fiscalização, que não age preventivamente. Quem vende só é criticado após a venda liquidada. E quem abandona não é fiscalizado, incomodado ou punido. O abandono do patrimônio público é premiado com o sossego de quem abandona. Mesmo sendo regiamente pago para zelar e fazer funcionar. Fiscalização de hipócritas numa sociedade inculta, em que o interesse pessoal sobrepõe-se ao interesse social. Na chamada “área cultural” esse fenômeno é escancaradamente vergonhoso.

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP