Bashir vale dois ingressos

Gustavo,

Gostei muito do filme. Vale sim, dois ingressos. Eu fui sem saber que era uma animação. Somente depois daquelas cenas iniciais, com os cães em disparada, é que me dei conta de que se tratava de animação. O filme é muito psicanálitico, com foco, sobretudo, na memória.  Sem me aprofundar muito, visto que meus conhecimentos na área são limitados, arrisco dizer que os vácuos de memórias enfrentados pelo diretor do filme são uma forma dele continuar vivendo uma vida relativamente normal, sem o peso excessivo da culpa. Para ser um filme israelense eu achei muito honesto e corajoso. Imagino que deve ter incomodado muito os radicais religiosos e a direita israelense.

ao topo