Beto Brant hoje no Solar Bela Vista

O bate papo com o badalado diretor Beto Brant será hoje, a partir das 19h, no auditório do Solar Bela Vista, dentro do projeto Goiamum Audiovisual.

Brant promete uma conversa descontraída sobre cinema, aberta à participação do público. Em seguida será exibido um filme que está sendo escolhido numa enquete promovida no site oficial do Goiamum Audiovisual 2009.

Ele dirigiu produções como Ações entre Amigos, Matadores, O Invasor (2001), Crime Delicado (2005) e Cão sem Dono (2007). Assisti este último, muitíssimo bom.

Ainda este ano, deve lançar um filme, baseado na série O Amor segundo B. Schianberg, exibida no programa Direções da TV Cutura e Sesc TV em junho.

SÁBADO

E no sábado o largo da Praça Augusto Severo se transforma no Cine Goiamum para oferecer oito dias de cinema de graça para a população.

Neste fim de semana, a pedida é curtir a Matinê do Cine Goiamum (sábado, 19, a partir das 17h), com os vídeos produzidos nas oficinas realizadas esta semana, e a exibição do documentário potiguar Sangue do Barro (domingo, às 19h), seguida de debate com personagens que presenciaram o massacre de Santo Antônio dos Barreiros, em São Gonçalo do Amarante.

OBS do blogueiro: A programação do Goiamum é diversificada, atraente, qualificada e, sobretudo, original. É um evento que, apesar da terceira edição, já se insere no calendário cultural da cidade. Isso, penso, é opinião geral.

Minha crítica, até como repórter, é a logística esparçada da programação. É um evento longo e distribuído demais. Veja acima que haverá um batepapo com o diretor no Solar e exibição de filme na Ribeira.

Imagino que se o evento fosse todo promovido em um único espaço, com programação mais reduzida ou mais intensa em período mais curto, facilitaria a divulgação e a presença de público.

Noto que, mesmo com a divulgação até insistente da assessoria e da mídia, pessoas ainda ficam desnorteadas sem saber qual as atrações do dia e o local. Então cito o Teatro Mágico: “porque que não se junta tudo numa coisa só?”.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article
  1. Pedro Fiuza 20 de Setembro de 2009 12:23

    Sérgio, obrigado pela crítica construtiva. O que posso justificar rapidamente é que a programação se espalha por questões de logística de produção (nem sempre conseguimos os locais e horários que queremos) e de parceria. Sobre o tempo, acredito que o formato de duas semanas é o máximo que conseguimos condensar para que os eventos não se superponham, fazendo da primeira semana a de CAPACITAÇÃO/FORMAÇÃO, a segunda a de DISCUSSÃO/PROPOSIÇÃO e das duas, também, de EXIBIÇÃO, uma vez que trabalhamos sobre esse tripé ideológico. Mas com certeza ainda temos muito o que lapidar. Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP